Polícia

Pedrada em viatura da Guarda Municipal detona vidro traseiro de veículo novo

Incidente ocorreu nas imediações de um parque com o flagrante da depredação pelos guardas

Midiamax Publicado em 02/04/2015, às 22h02

None
img-20150402-wa0002.jpg

Incidente ocorreu nas imediações de um parque com o flagrante da depredação pelos guardas

Final da tarde, de uma véspera de feriado, e o que era para ser uma ronda tranquila da guarnição da Guarda Civil Municipal (GCM), em uma área recreativa da região norte de Campo Grande, se tornou o motivo para a prisão de dois homens, por fragrante da depredação de patrimônio público. Um deles, na carona de uma motocicleta atirou uma pedra na viatura da GCM, da identificação M-20, que ficou com o vidro traseiro extremamente danificado. A façanha ocorreu nas imediações do Parque do Tarcila do Amaral, por volta das 17h30, da quinta-feira (02).

Conta o Guarda-Municipal Augusto, que estava na operação de rotina que o ato de depredação foi visto por ele e que por sorte não havia nenhum outro guarda dentro da viatura. Após uma breve perseguição foram capturados o motociclista e o arremessador da pedra, autuados em flagrante pelo crime e depois encaminhados ao Depac-Centro (Delegacia de Pronto Atendimento).

Pelas informações da Guarda Civil Municipal, Anderson Mendonça Rolon teria sido o condutor da motocicleta da perseguição, de 21 anos, e com passagem policial pelo artigo 309 do Código Brasileiro de Trânsito, no qual é prevista a pena de seis meses a um ano por direção de veículo sem a Carteira Nacional de Habilitação. 

O ‘carona’ que atirou a pedra no Fiat Siena da Guarda Civil Municipal, conforme as informações da guarnição, teria também a mesma idade, e no histórico criminal o fato de já ter sido preso por porte de drogas. O nome revelado do homem que quebrou o vidro do carro com uma pedra é Waldemir Ferraz Pereira, de acordo com o que a reportagem apurou com o Guarda Civil Municipal Augusto.

Em virtude da recusa em se submeterem ao teste de alcolemia os dois suspeitos foram, ainda na noite da quinta-feira (02), conduzidos ao Instituto de Medicina e Odontologia Legal (IMOL).

Jornal Midiamax