Polícia

Ladrão rende família, rouba caminhonete e capota na fuga

Pais e filha foram abordados ao chegarem a casa

Midiamax Publicado em 17/05/2015, às 12h30

None
20150517_075801.jpg

Pais e filha foram abordados ao chegarem a casa

Após render e roubar a caminhonete de uma família, próximo da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), o autor de assalto capotou durante a tentativa de fuga na saída para Sidrolândia na noite deste sábado (16) em Campo Grande. O veículo, um Chevrolet S10, placa HRZ-1997, ficou totalmente destruído, mas o bandido conseguiu fugir.

De acordo com o delegado plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga, Camilo Kettenhuber Cavalheiro, o casal e a filha chegavam a casa, localizada na Rua Foz do Iguaçu e assim que abriram o portão foram abordados por dois homens em uma motocicleta. Armados os bandidos anunciaram o assalto e mandaram a família descer do veículo.

Assustadas, as vítimas conseguiram desembarcar e se esconderam atrás de um muro, enquanto um dos bandidos levava a caminhonete e o outro fugia na motocicleta. Imediatamente a polícia foi acionada e conseguiu interceptar o veículo.

“Tivemos a informação de que o rapaz da caminhonete estava se deslocando sentido Sidrolândia provavelmente indo para o Paraguai, foi montada em tempo uma barreira, mas ele a furou e as viaturas não conseguiram chegar à caminhonete, por ele estar em altíssima velocidade. Mais para a frente ele perdeu o controle do veículo e capotou”, relata o delegado.

O acidente aconteceu próximo da Empresa América Latina Logística e o autor conseguiu fugir. Militares do Batalhão de Choque da Polícia Militar realizaram rondas na região, mas não localizaram o ladrão. Na caminhonete foram encontrados a arma usada no assalto, um revólver calibre 357, de uso restrito e um capacete com muito sangue.

“Apreendemos o capacete para encaminhar para exame de DNA. Já comunicamos todos os postos de saúde para caso haja a entrada de algum ferido chamem a polícia”, afirma Cavalheiro.

Segundo o delegado os momentos mais críticos para esse tipo de crime são quando as vítimas estão chegando ou saindo de casa e até estacionando.

“Geralmente a pessoa está distraída e os criminosos utilizam dessa facilidade para fazer a abordagem. O que a gente orienta, sempre é que quando as pessoas estiverem chegando ou saindo do veículo, prestem  atenção se não existe movimentação diferente, ou alguém parando de moto observando, porque quando os bandidos verificam que estão sendo flagrados, muitas vezes eles desistem”, alerta o delegado. 

Jornal Midiamax