Polícia

Jovem que desfigurou rosto de vítima diz que matou para se defender

“Melhor a mãe dele chorar que a minha”, diz suspeito 

Midiamax Publicado em 09/11/2015, às 22h59

None
_mg_1931_interna.jpg

“Melhor a mãe dele chorar que a minha”, diz suspeito 

Henrique Rodrigues dos Santos, vulgo ‘Pimenta’, de 18 anos, foi preso nesta segunda-feira (9) pelo assassinato de Carlos Eduardo Nogueira Ribeiro, de 27 anos, encontrado com o rosto desfigurado na Rua Ébano, no Jardim Nhanhá. A vítima foi morta com aproximadamente seis golpes de faca, além de ser agredido com pauladas e pedradas.

O corpo do rapaz foi encontrado por populares por volta das 7 horas e equipes do SIG/DPC (Setor de Investigação Geral do Departamento de Polícia da Capital) passaram a realizar diligências em busca do autor. Cerca de três horas depois, os policiais localizaram Henrique na casa da família, no Jardim Joquei Club.

No local, a mãe do rapaz negou a presença do filho, mas os investigadores flagraram Henrique tentando fugir pelos fundos da residência. Assim que foi abordado, o jovem tentou se passar pelo irmão gêmeo, chamado Eduardo, para fugir da prisão, mas foi reconhecido pela tatuagem de folha de maconha no pescoço e pelo apelido gravado na perna.

Já na delegacia, Santos afirmou que cometeu o crime para se defender. Segundo ele, durante a madrugada Carlos teria se aproximado dele com uma faca e o ameaçado de morte. Neste momento os dois entraram em luta corporal e Henrique teria usado uma pedra para derrubar o desafeto, tomar a arma dele e o esfaquear.

Para a equipe do Jornal Midiamax, Henrique alegou que a vítima estava drogada e por isso chegou ameaçando ele. “Fiz para me defender, melhor a mãe dele chorar que a minha”, afirmou o jovem.

De acordo com a polícia, a vítima tem de seis a dez ferimentos pelo corpo. Em um dos golpes a faca quebrou e ficou cravada na vítima, que também foi agredida a pedras e paulada. Em virtude a dinâmica do crime e dos ferimentos, a polícia trabalha com a hipótese que há mais de uma pessoa envolvida no caso, versão que é negada pelo autor.

Henrique, que possui passagens por tráfico de drogas, porte ilegal de arma e porte de droga para uso pessoal, foi preso em flagrante e responderá por homicídio qualificado por motivo fútil. Já a vítima possuía várias passagens pela polícia por furto.

Jornal Midiamax