Polícia

Homem se revolta com atitude da PM em confusão com GCM e ‘manda’ recado pelo Facebook

Postagem teve três curtidas e 12 comentários

Midiamax Publicado em 04/04/2015, às 17h52

None
ameaca_1_1.jpg

Postagem teve três curtidas e 12 comentários

Após a confusão entre servidores da GCM (Guarda Civil Municipal) e da PM (Polícia Militar), na noite desta sexta-feira (3), em Campo Grande, um homem teria feito ‘ameaças’ aos militares após compartilhar a notícia na página pessoal do Facebook. Revoltado com a atitude dos policiais, o homem declarou que, ‘pode começar a morrer PMs’.

Ao compartilhar a notícia onde a vítima disse ter reconhecido dois guardas municipais responsáveis pelas agressões feitas a ela, e a Guarda Civil Municipal condenava a atuação da PM durante a abordagem. O homem, com as iniciais J.D.L, fez a seguinte declaração: ‘esses fdp desses pms estão muito abusado, na hora que começar a morre pm não reclama!’ (sic).

A postagem teve três curtidas e 12 comentários, entre eles supostos amigos do homem alertando-o sobre o comentário e até mesmo dizendo para apagar a postagem. Em resposta aos comentários o homem colocou: ‘O recado foi dado, quem pode mais chora menos’. E em outro momento: ‘Não não vc não sabe do que aconteceu, ninguém de vcs estavam lá para saber! O recado foi dado’, finalizou.

Por fim o homem acabou apagando a postagem e possivelmente desativou a sua página na rede social, uma vez que o seu perfil não está mais visível.  

Guarda Civil Municipal

A assessoria da Guarda Civil Municipal disse que ainda não recebeu nenhuma informação oficial sobre o caso e que não tem como confirmar se o homem faz parte do quadro de efetivos. Ainda de acordo com a assessoria, como a postagem foi feita de uma página particular e em caso de denúncia o homem deve responder normalmente na Justiça.

A GCM vai confirmar na segunda-feira (6) se ele faz parte do efetivo e caso confirmado, as medidas administrativas serão tomadas. No mesmo dia em que fará uma entrevista coletiva, que deve ocorrer na base da Guarda, que é localizada no prédio da antiga rodoviária de Campo Grande.

Polícia Militar

A reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com a assessoria da Polícia Militar, mas as ligações não foram atendidas e também não foram retornadas.

O caso

Um episódio envolvendo integrantes da Guarda Civil Municipal e policiais militares está gerando grande confusão e deverá ser apurado pelos representantes dos dois órgãos.

Por volta das 5h30 desta sexta-feira (3), um homem, que teve a identidade preservada, acionou o Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança) afirmando ter sido agredido nas proximidades da antiga rodoviária. Uma ambulância foi direcionada para o local e quando a vítima estava sendo medicada chegou uma viatura da PM. 

Ele afirmou aos policiais que quatro homens fardados haviam o agredido e indicou que poderiam ser guardas civis municipais. Os policiais militares foram até a base operacional da guarda, na antiga rodoviária, e teriam dado voz de prisão para os guardas que estavam lá e esta situação gerou um desconforto entre as duas corporações. Com o impasse até mesmo o BPChoque (Batalhão da Polícia de Choque) foi acionado.

Depois de muita argumentação os guardas civis municipais foram à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro para os devidos esclarecimentos.

Para o presidente do Sindicato dos Guardas Civis Municipais de Campo Grande, Hudson Pereira Bonfim, o caso precisa ser bem esclarecido. “A vítima não soube indicar com precisão quem a havia agredido. Atualmente, além da Guarda Civil Municipal e da PM, existem empresas de segurança que usam fardamento similar e que pode gerar confusão. Agora queremos que as corregedorias, tanto da PM quanto da GCM, apurem bem os fatos. Apesar desta situação, quero adiantar que se trata de um fato isolado e que de forma alguma vai interferir na relação entre as duas partes envolvidas”, afirmou Bonfim.

Jornal Midiamax