Polícia

Homem quer encontrar a família após se perder ao tentar ir para casa

Ele toma remédio controlado e procura pela família

Gerciane Alves Publicado em 08/11/2015, às 14h37

None
2.jpg

Ele toma remédio controlado e procura pela família

Um taxista procurou a polícia na manhã deste domingo (8) para tentar encontrar a família de um homem que  solicitou seus serviços na noite de ontem, mas depois de não achar o endereço acabou dormindo no ponto de táxi.O homem, de 43 anos, se identificou como Wilson e disse que quer encontrar a família. 

Ele disse que não consegue lembrar onde mora e afirmou ter esquizofrenia. Wilson disse à equipe de reportagem que não tomou seu medicamento ontem e acredita que, por isso, não consegue chegar em casa. 

Segundo relato do taxista Cesar Augusto, de 45 anos, por volta das 20h30 de ontem Wilson o parou na Rua Rio Grande do Sul pedindo para ser levado para casa, que ficaria na Rua Pernambuco. O problema é que depois de procurar por mais de duas horas, a casa não foi encontrada.

Segundo o taxista o homem disse por várias vezes que se tratava de uma casa amarela, mas as referências informadas não coincidiam com o endereço que ele passou. “Ele me dizia pontos de referências que não batiam com o endereço. Até procurei os locais que ele me falava com a ajuda do GPS, mas não achei essa casa amarela”, conta o taxista.

Por volta das 22 horas o taxista  resolveu parar de procurar e levou o homem para o ponto de táxi onde fica no Bairro Monte Castelo. Depois de ver que Wilson passou a noite inteira lá, Cesar resolveu procurar a polícia para registrar um boletim de ocorrência e tentar encontrar a família dele.

César Augusto conta que procurou no Facebook o nome informado por Wilson como da sua irmã e deixou um recado sobre o seu paradeiro. ‘”Ele me disse o nome da irmã e que ela trabalha na Agepen. Procurei no Facebook e achei uma mulher com as características dela e deixei uma mensagem”, conta.

Em conversa com a equipe do Jornal Midiamax, Wilson contou que faz uso de remédios controlados e um deles é para esquizofrenia, mas no sábado (7) não tomou seus remédios. De acordo com a polícia se a família não aparecer um assistente social será chamado. 

Jornal Midiamax