Polícia

Guarda estava em UPA onde servidora teve dedo quebrado, porém em outro atendimento

Eles orientaram a vítima para que fizesse um boletim de ocorrência

Midiamax Publicado em 17/04/2015, às 16h02

None
servidora_agredida_upa_cel_antonino.jpg

Eles orientaram a vítima para que fizesse um boletim de ocorrência

A assessoria de comunicação da secretaria de Segurança Pública de Campo Grande informou que havia ao menos seis guardas civis municipais de plantão na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Coronel Antonino, localizado na região norte de Campo Grande. Mesmo local onde uma servidora pública teve o dedo quebrado por uma gestante, que se irritou com a demora do atendimento no local.

Ela teria procurado a triagem para fazer a reclamação, pois estava há algum tempo na sala de espera e não tinha sido chamada. Testemunhas contaram que a grávida jogou a bolsa e o capacete dela nos funcionários e arremessou uma garrafa de água na porta. Além disso, deu um chute na porta que era segurada pela auxiliar de enfermagem que teve o dedo quebrado.

Retorno

A assessoria informou que, no momento em que ocorreu o fato entre a gestante e a servidora pública, os guardas civis haviam sido solicitados para atender uma ocorrência em outro local da própria unidade de saúde. Porém, quando puderam ir até a sala da triagem, onde houve o confronto, eles orientaram a auxiliar de enfermagem para ir até uma delegacia da Polícia Civil registrar um boletim de ocorrência sobre a agressão.

Além disso, a secretaria de segurança municipal informou para a equipe do Jornal Midiamax que, todas as unidades de saúde do município contam com a presença dos guardas civis municipais com escala de 24 horas.

Jornal Midiamax