Polícia

Funcionário teria manuseado suposta bomba antes de chamar a polícia

Em depoimento, o funcionário narrou que estava limpando auditório quando encontrou o artefato

Midiamax Publicado em 02/01/2015, às 19h05

None
_mg_7981.jpg

Em depoimento, o funcionário narrou que estava limpando auditório quando encontrou o artefato

O delegado Márcio Obara, do Garras (Delegacia Especializada Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros), disse na tarde desta sexta-feira (2) que já ouviu o funcionário que achou a suposta bomba dentro auditório do Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, no Parque dos Poderes, em Campo Grande.

De acordo com Obara, em depoimento o funcionário narrou que estava limpando o auditório quando encontrou o artefato embaixo de uma cadeira e levou para fora do prédio, só depois chamou a políca.

Obara disse ainda que a suposta bomba foi desmonta com pressão d’água para que não houvesse dano nos componentes. O artefato foi encaminhado para o laboratório e somente após o laudo, que deve ficar pronto em 30 dias, o delegado pode confirmar se havia poder lesivo. 

As investigações continuam e Obara afirmou que deve ouvir mais pessoas que estiveram no local no dia da posse dos secretários, que foi realizada na tarde de ontem (1º) no auditório do Rubens Gil de Camilo. O delegado disse ainda que a prioridade é descobrir quem colocou o artefato no local, quando foi colocado e qual era a finalidade. 

Jornal Midiamax