Polícia

Funcionário nega que chamou passageiro de ‘macaquinho’ e registra B.O

Ele acusa o passageiro de calúnia

Midiamax Publicado em 05/10/2015, às 14h46

None
guiche.jpg

Ele acusa o passageiro de calúnia

O funcionário de guichê da Rodoviária de Três Lagoas, a 338 quilômetros da Capital, negou que tenha chamado passageiro de ‘macaquinho’ ao pedir para trocar a passagem na noite deste domingo (4).

Segundo o gerente geral de vendas da empresa, Denílson Carlos Dias, o passageiro não respeitou o tempo de troca que é de três horas antes do horário do início da viagem e se recusou a pagar a multa compensatória a título de remarcação.

“O que aconteceu foi que ele chegou depois do horário para trocar a passagem e não quis pagar a multa conforme a resolução da ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre) prevê para estes casos. Ele simplesmente desrespeitou o meu profissional”, relata Dias.

O gerente disse que foi um absurdo o que o passageiro fez e que seu funcionário é exemplar. Não consta nos registro da empresa que ele tenha desrespeitado qualquer passageiro. “Não existiu essa história de racismo porque o outro funcionário testemunhou o episódio e ele não tem nenhuma testemunha que garanta que foi desrespeitado”, afirma.

Denílson Dias disse que ele acompanhou o funcionário até a Delegacia de Polícia Civil para prestar esclarecimentos e que também registrou um boletim de ocorrência contra ele. “Eu o levei até a delegacia no meu carro e o próprio delegado o instruiu a registrar um B.O contra ele”, concluiu Dias.

O gerente ainda disse que não há hipótese do funcionário ser racista porque a namorada dele é negra. Os dois envolvidos foram liberados depois de prestarem depoimento.

Jornal Midiamax