Polícia

Fotos no WhatsApp resultam em tiroteio e suspeito morto

Jovem de 21 anos foi atingido por PMs, que buscavam arma irregular

Midiamax Publicado em 05/01/2015, às 11h30

None
img-20150105-wa0007.jpg

Jovem de 21 anos foi atingido por PMs, que buscavam arma irregular

Um jovem de 21 anos foi morto pela Força Tática da Polícia Militar na madrugada desta segunda-feira (5), no Jardim Noroeste, em Campo Grande. Os policiais chegaram até o rapaz, identificado como Rodrigo de Almeida Amorim, de 21 anos, o Kiko, após um adolescente postar fotos de uma arma de fogo no WhatsApp.

Segundo os registros policiais, um adolescente postou fotos da arma no WhatsApp. As imagens chegaram até homens da Força Tática que, sabendo ser o garoto morador do Jardim Itamaracá, decidiram procurá-lo na região.

Ainda conforme o registro policial, ao ver a PM o jovem tentou fugir e escondeu-se em um matagal, mas acabou detido. Disse que arma estava com Kiko e um comparsa, também menor de 18 anos, em uma casa no Noroeste.

Os PMs, narra o boletim de ocorrência, foram até o local apontado pelo menor. Encontraram a casa fechada e as luzes apagadas e anunciaram a chegada: “Polícia Militar, abram a porta”.

Sem resposta, os PMs informaram ter visto intensa movimentação dentro da casa, já a esta altura com as luzes acesas. Decidiram arrombar a porta e, em um dos quartos, trancado, encontrou um casal, ambos menores de 18 anos.

A dupla informou que Kiko estava escondido em outro cômodo da casa. Os policiais viram o suspeito estava dentro do guarda-roupas de outro quarto, portando uma arma de fogo.

Consta no BO que Kiko disparou duas vezes contra os policiais. Os PMs revidaram e acertaram o jovem.

Kiko ainda foi socorrido a um posto de saúde, no bairro Tiradentes. No entanto, ele não resistiu aos ferimentos.

Um dos adolescentes apreendidos durante a ocorrência disse que Kiko havia comprado o revólver, calibre 38, há cerca de três meses. Pagou R$ 1,6 mil na arma e a utilizaria para defesa pessoal.

Arma e os adolescentes foram encaminhados à Depac Centro. Na arma, com capacidade para seis balas, havia apenas três: além das duas disparadas contra os policiais, consta que, mais cedo, Kiko havia feito um disparo em frente à casa onde foi localizado.

Jornal Midiamax