Polícia

Enfermeira e doula vão à polícia explicar morte de bebê após parto em casa

Mulher foi levada para a Santa Casa

Thatiana Melo Publicado em 14/12/2015, às 15h50

None
img-20151214-wa0070.jpg

Mulher foi levada para a Santa Casa

Ao tentar realizar um parto humanizado, uma mulher identifica como Priscila, de 32 anos, acabou perdendo o bebê que morreu na manhã desta segunda-feira (14), em Campo Grande no Bairro Taquarussu.

Segundo a delegada da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro, Priscilla Anuda, a criança nasceu viva mas momentos depois morreu. “O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado, mas a criança já estava morta”, fala.

A mulher teria contratado uma enfermeira e uma doula, responsável por acompanhar a gestante durante e após o parto. A mulher teria entrado em trabalho de parto às 3 da madrugada, e no fim da manhã o bebê teria nascido vivo, mas morrendo em seguida. Este seria o terceiro filho de Priscila.

A delegada afirmou que a enfermeira e a doula foram encaminhadas para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro para prestar esclarecimentos. A mulher foi levada para a Santa Casa da Capital para a realização de uma cirurgia, e o corpo do bebê foi encaminhado para o IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) para exame necroscópico.

A família não quis comentar o caso.  

Jornal Midiamax