Polícia

Dois são presos por porte ilegal de arma na Operação Lama Asfáltica na Capital

Às 6 horas, policiais chegaram na casa de João Amorim

Diego Alves Publicado em 10/07/2015, às 00h57

None
pf.jpg

Às 6 horas, policiais chegaram na casa de João Amorim

Dois foram presos por porte ilegal de arma de fogo, durante a Operação Lama Asfáltica, realizada pela Polícia Federal em Campo Grande nesta quinta-feira (9). Duas armas, revólver calibre 38 foram aprendidas.

Um dos presos seria João Alberto Krampe Amorim dos Santos, proprietário da Proteco. De acordo com informações da Polícia Federal, o empresário pagou fiança de R$ 10 mil e foi liberado.

A Polícia Federal, Receita Federal e CGU (Controladoria-Geral da União) realizaram nesta quinta,  a operação que cumpre 19 mandados de busca e apreensão em Campo Grande, visando obter detalhes de contratos com um dos maiores empreiteiros do Estado, João Alberto Krampe Amorim dos Santos.

Desde as 6 horas, policiais ficaram trancados com João Amorim na sua casa, no Bairro Vila Vendas, realizando busca de documentos. Segundo as primeiras informações, há viaturas também na empresa Proteco Engenharia (de João Amorim). Leitores enviaram uma foto e informaram que também há uma viatura na casa de Edson Giroto, ex-secretário de obras e atual diretor no Dnit. Giroto, entretanto, não atende as ligações da reportagem.

Outros policiais fizeram buscas na Secretaria de Obras do governo, onde quatro servidores foram afastados, dos quais três são efetivos e um estava no programa de demissão voluntária, mas continuava prestando serviços. De acordo com o secretário de Governo Eduardo Riedel, a secretaria está fornecendo os dados solicitados e os servidores ficarão afastados preventivamente por 60 dias para as investigações.

Jornal Midiamax