Polícia

Bandido envolvido em assalto e morte fazia parte de associação criminosa

Delegado suspeita de envolvimento de outras pessoas

Midiamax Publicado em 22/11/2015, às 20h06

None
img-20151122-wa0067.jpg

Delegado suspeita de envolvimento de outras pessoas

O delegado plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga, Hoffman Dávila Cândido, suspeita de que Adriano Donega Prates, de 32 anos, morto no fim da manhã deste domingo (22), depois de ser baleado, no peito, durante troca de tiros com a Polícia ocorrida em uma tentativa de fuga, fizesse parte de uma associação criminosa.

“Acredita-se que dois ou mais elementos praticaram o roubo. Há evidências de que possa se tratar de uma associação criminosa, no entanto, isso ainda será investigado. Estamos com o celular dele”, afirma o delegado. 

Conforme as informações, Prates, e outro suspeito, que segundo a Polícia Civil e Militar, ainda não foi identificado, roubaram uma caminhonete S10, na Rua Doná Deolinda Pereira de Souza, no Bairro Universitário, na Capital.

Segundo o delegado, o dono da caminhonete havia saído de uma residência e estava dentro do veículo quando foi abordado por Prates, e o comparsa, que estavam armados. Os assaltantes, que chegaram em uma motocicleta, renderam a vítima e roubaram o veículo.

De acordo com as investigações, Prates fugiu na caminhonete e o comparsa, teria seguido com a moto. Os suspeitos teriam prosseguido por caminhos distintos.

Equipes da Polícia Militar foram acionadas e iniciaram a perseguição do suspeito. Durante a tentativa de fuga, Prates atropelou a comerciante Hediene, dona de uma loja na Rua Souto Maior, no Jardim Tijuca, e o filho dela. As vítimas estavam em uma motocicleta e seguiam na Avenida Tyrson de Almeida quando foram atropeladas.

Após o acidente, a mulher sofreu uma parada cardiorrespiratória e equipes do Corpo de Bombeiros e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) tentam reanimá-la, no entanto, ela não resistiu. A criança sofreu ferimentos graves e fratura no braço. O menino foi encaminhado para a Santa Casa e o estado de saúde dele ainda não foi detalhado.

Depois de atropelar mãe e filho, Prates foi perseguido pela polícia e colidiu em um Uno, na Rua Maria das Dores Soares, no Conjunto Aero Rancho. Após a colisão, ele teria descido do veículo e prosseguido a pé. Na tentativa de fuga, houve troca de tiros entre policiais e o assaltante e o suspeito foi baleado. Uma equipe do Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal), confirmou que o suspeito foi atingido no peito.

Prates chegou a ser socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e encaminhado para o CRS (Centro Regional de Saúde) – Doutor Ênio Cunha – Guanandy, mas não resistiu e morreu pouco depois.

Equipes das Polícias Civil e Militar continuam a procura do segundo suspeito, que até o momento, não foi identificado. O revólver de calibre 38 que estava com Prates e o celular do suspeito foram apreendidos. 

Jornal Midiamax