Polícia

Ao ser esfaqueada, vítima foi ‘colocada’ em sofá de residência

A vítima ainda não foi identificada

Midiamax Publicado em 04/04/2015, às 15h23

None
002.jpg

A vítima ainda não foi identificada

A mulher encontrada morta na manhã deste sábado (4), no sofá de uma casa da Avenida Marajoara, no Jardim Bálsamo, área sul de Campo Grande, ainda não foi identificada. Ela estava com ferimentos no abdome e outras partes do corpo , provocados por facadas.

Vizinhos disseram, inicialmente, que a mulher poderia ser uma das duas que moram na casa. Porém, após verem o corpo, eles negaram que a morta seja  moradora.  No local, mora um casal de mulheres e um homem. Nenhum deles atende o celular para informar o que pode ter acontecido.

Segundo o delegado da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Juliano Carvalho, será realizado um exame de DNA no corpo da vítima para identificação, que deve sair nos próximos dias.

O corpo foi encontrado por populares que viram um rastro de sangue que começava na rua e seguia até a casa. Eles ligaram para a proprietária do condomínio de quitinete e informaram o fato.

Ao chegar ao local, a mulher chamou pela inquilina, que não apareceu. Pela janela, ela viu o corpo ensanguentado sobre o sofá. Ela percebeu que a porta estava destrancada e ao se aproximar da vítima, notou que estava morta.

Ocultação

Uma das hipóteses levantadas pela polícia é de que a vítima foi colocada no sofá, pois no suposto local onde teria ocorrido o assassinato há uma grande quantidade de sangue, que volta a aparecer próximo do portão do conjunto de quitinetes e depois no sofá.

Eles dizem acreditar que a vítima tenha sido carregada para dentro do imóvel, a fim de ocultar a lesão ocorrida na rua. Por conta disso, a pessoa teria parado próximo do portão para abri-lo e por isso, há uma quantidade de sangue no local, conforme informações apuradas pelo Jornal Midiamax.

A vítima foi colocada sentada no sofá, com o tronco deitado. Além disso, o imóvel está todo revirado e não há como saber se algo foi levado.

Populares afirmaram que uma das inquilinas do local morava com um rapaz e mais tarde começou a morar também com a namorada. Os três não tinham problemas com os demais moradores e eram discretos.

A polícia tenta identificar quem é a mulher morta, a princípio acreditou ser a inquilina, pois ela chega a casa por volta das 5 horas da madrugada, pois trabalha em um restaurante, entretanto, algumas pessoas disseram que a vítima, não se parece com a mulher que alugava o imóvel.

Jornal Midiamax