Polícia

Adolescente se apresenta à polícia e assume culpa por morte em favela

Garota reafirmou que vítima ameaçava a família dela

Midiamax Publicado em 12/06/2015, às 11h42

None
img-20150612-wa0014.jpg

Garota reafirmou que vítima ameaçava a família dela

Uma garota de 17 anos se apresentou à Polícia Civil e assumiu a responsabilidade pela morte do auxiliar de serviços gerais Agnaldo João Schellemerg, de 47 anos. O crime aconteceu na última quarta-feira (10), na Favela Cidade de Deus, em Campo Grande.

A garota foi apreendida e reafirmou que Agnaldo estaria ameaçando os familiares dela e que cometeu o homicídio para defender a família.

A adolescente relatou ter dado duas facadas no auxiliar de serviços gerais e disse que as outras pessoas que estavam na favela teriam dado chutes e socos nelea. Ela disse não conhecer as pessoas. A garota também contrariou a versão de testemunhas, que disseram que a mãe dela e um conhecido da família teriam participado do linchamento.

Homicídio

O crime aconteceu por volta das 21h40, na Favela Cidade de Deus. De acordo o registro feito na Polícia Civil, Agnaldo teria ameaçado a ex-mulher e os familiares dela ficaram revoltados. Eles perseguiram a vítima com facas.

Teria acontecido revolta entre os moradores e familiares da vítima, que perseguiram Agnaldo, que foi atingido por uma facada. Ele correu e caiu em uma cerca de arame. A ex-mulher e várias pessoas teriam chegado em seguida e o homem foi atingido com vários chutes e socos.

Jornal Midiamax