Polícia

Sul-mato-grossense integrante do PCC é preso em Goiânia enquanto planejava assalto

O sul-mato-grossense Carlos Augusto Cramoliski Oliveira, de 30 anos, mais conhecido como “Carlim PCC”, suspeito de integrar a facção criminosa  Primeiro Comando da Capital (PCC) foi preso em Goiânia, capital de Goiás, acusado de assalto. De acordo com o site Canal Gama, ele foi preso por agentes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) no […]

Arquivo Publicado em 07/02/2014, às 14h50

None
1518457688.jpg

O sul-mato-grossense Carlos Augusto Cramoliski Oliveira, de 30 anos, mais conhecido como “Carlim PCC”, suspeito de integrar a facção criminosa  Primeiro Comando da Capital (PCC) foi preso em Goiânia, capital de Goiás, acusado de assalto.

De acordo com o site Canal Gama, ele foi preso por agentes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) no momento que se preparava para assaltar comerciantes da Rua 44 na cidade.

Carlim PCC é procurado em três Estados e estava em Goiânia cometendo delitos. Em dezembro ele e um comparsa assaltaram um comerciante na mesma rua onde planejava o crime.

O acusado é filho da cabeleireira Margarida Cramoliski de Oliveira, 50 anos, presa na quinta-feira, dia 30 de janeiro,com R$ 4,4 mil e várias peças de joias e semijoias provenientes de assalto no início do ano na Rua Uirapuru, BNH 4° Plano.

Desde novembro os agentes da Deic tiveram a informação que um perigoso assaltante estava praticando crimes na cidade.

Armado com um revólver calibre 3.57, de uso restrito, o criminoso foi localizado e preso em uma residência na capital goiana no momento em que, junto com um adolescente de 17 anos planejava o roubo.

Além da arma, os policiais encontraram com ele uma caixa de sapatos, que, relatou, seria usada para colocar o dinheiro obtido no assalto.

Segundo o chefe do Grupo Antissequestro da Deic, o delegado Gleidson Carvalho, o departamento está à procura de outros três integrantes do bando que moram em Goiânia e que seriam os “guias” do criminoso.

O jovem que foi apreendido, conforme o delegado, tem uma tatuagem na perna da imagem de um coringa e, teria relatado para os agentes que é matador de policiais.

Carlo foi autuado em flagrante pela posse de uso restrito e responderá também pelo assalto ocorrido no fim do ano passado e vai ser investigado ainda em outros crimes ocorridos em Goiânia.

Jornal Midiamax