Polícia

Polícia revista barracos na Cidade de Deus atrás de assassinos de policial

Policiais da Polícia Civil, da Militar, do Batalhão de Choque, do Bope, fazem diligências na Cidade de Deus, favela em frente ao Lixão de Campo Grande, em busca de mais envolvidos no assassinato do policial militar Rony Mayckon Varoni de Moura da Silva, de 28 anos, na tarde desta terça-feira (3). Os policiais seguiram até […]

Arquivo Publicado em 03/06/2014, às 20h05

None
1470434597.jpg

Policiais da Polícia Civil, da Militar, do Batalhão de Choque, do Bope, fazem diligências na Cidade de Deus, favela em frente ao Lixão de Campo Grande, em busca de mais envolvidos no assassinato do policial militar Rony Mayckon Varoni de Moura da Silva, de 28 anos, na tarde desta terça-feira (3).

Os policiais seguiram até o local, porque rastro de sangue ficou pela pista até a favela. Eles revistam barracos, conversam com populares e olham até anotações em cadernos. Viaturas da Polícia Rodoviária estão paradas na entrada do Lixão, parando carros que entram e saem em direção da favela.

Outra equipe ainda fez uma “barricada” com viaturas, fechando outra entrada da favela. Informações preliminares apontam que uma segunda pessoa acompanhava Rony em uma Saveiro branca, quando foram atingidos próximo à Indubrasil. Porém, ela ainda não foi identificada.

A assessoria da Polícia Militar disse que vai divulgar em breve mais informações sobre as diligências e a atuação de Rony. Supostamente ele carregava um malote e fazia “bicos” fora do expediente.

Jornal Midiamax