Polícia

Polícia apresenta trio envolvido em homicídio ocorrido no Santo Eugênio

A Polícia Civil apresentou na tarde desta segunda-feira (27), três envolvidos em um homicídio ocorrido no dia 26 de dezembro do ano passado. Marcelo Silva, de 29 anos, conhecido como Coiote, José dos Santos de 65 anos, o Zé Bodega, e Aparecido Donizete Martins, de 53 anos, conhecido como Branco, se envolveram em uma confusão […]

Arquivo Publicado em 27/01/2014, às 19h00

None
1882436923.jpg

A Polícia Civil apresentou na tarde desta segunda-feira (27), três envolvidos em um homicídio ocorrido no dia 26 de dezembro do ano passado. Marcelo Silva, de 29 anos, conhecido como Coiote, José dos Santos de 65 anos, o Zé Bodega, e Aparecido Donizete Martins, de 53 anos, conhecido como Branco, se envolveram em uma confusão que acabou com a morte de Davi Andrade, de 52 anos, o Paulista.

O crime aconteceu quando Paulista e Coiote estavam bebendo em um bar na Rua Pontalina no dia 26 de dezembro e foram surpreendidos por Zé Bodega que chegou ao local atirando contra os dois. Coiote foi atingido por dois tiros, mas acabou sendo socorrido e sobreviveu, já Paulista foi atingido no tórax e morreu na hora.

Com a investigação da Polícia Civil e de acordo com as características ditas pela vítima que sobreviveu aos disparos, Zé Bodega foi localizado e preso na última quinta-feira (23). No momento da prisão, o autor dos disparos delatou o envolvimento de Aparecido Donizete Martins, mais conhecido como Branco,no crime.

De acordo com Zé Bodega, o motivo do homicídio seria uma antiga rixa que tinha com o Paulista, que há sete anos deu um tapa na cara dele. O autor também explicou que Branco também tinha uma rixa com o Coiote, por ele ser um “mau pagador”, pois bebia na conveniência de Branco e acabava não pagando.

Ele ainda disse que no dia do crime, estava bebendo na conveniência do Branco, até que Coiote e Paulista passaram juntos em direção ao bar em que aconteceu o homicídio, zombando dos dois. E foi neste momento que Branco e Zé Bodega contaram um para o outro sobre as rixas que tinham com as duas vítimas e daí se associaram para fazer a vingança conjunta.

Segundo o delegado Tiago Macedo dos Santos, Zé Bodega então teria recebido uma arma calibre 38 de Branco e foi o autor dos disparos. “Zé Bodega é frio e calculista, não ocultou nenhum detalhe do crime. Ele já tem diversas passagens pela polícia, inclusive por homicídio”, afirmou o delegado.

Quando Zé Bodega foi preso, este afirmou que Branco deu todo o suporte para ele, inclusive auxiliando-o na fuga. O autor dos disparos ainda afirma que Branco queria que ele assumisse tudo sozinho. Na apresentação, Zé Bodega ainda disse estar sob efeito do álcool quando cometeu o crime. “Quando se tá com a bebida, a gente não sabe o que faz”, disse.

Já Branco nega esta versão. Ele disse que jamais admitiria alguém tirar a vida do outro. “Eu sou pai de família, moro lá há 20 anos, tenho minha conveniência, minha esposa é doente e eu não fiz isso”, explica.

Branco ainda disse que a rixa com o Coiote seria por uma ameaça que foi feita por ele, dizendo que iria tacar fogo em sua conveniência após uma das discussões sobre o não pagamento do consumo de bebidas alcoólicas.

Os três envolvidos estão presos no 4º DP à disposição da Polícia.

Jornal Midiamax