Polícia

VÍDEO: Torcedora de 18 anos denuncia policiais por agressão flagrada com celular

Uma torcedora de 18 anos de idade denunciou policiais militares do Paraná por agressão. Ana Paula Lima conta que os policiais exigiram que ela apagasse um vídeo feito no celular e, como ela disse que não apagaria, teve a cabeça socada contra a porta de aço de uma loja. Uma colega de Ana Paula continuou […]

Arquivo Publicado em 20/11/2012, às 12h02

None
616382956.jpg

Uma torcedora de 18 anos de idade denunciou policiais militares do Paraná por agressão. Ana Paula Lima conta que os policiais exigiram que ela apagasse um vídeo feito no celular e, como ela disse que não apagaria, teve a cabeça socada contra a porta de aço de uma loja.


Uma colega de Ana Paula continuou gravando e flagrou a ação dos soldados em vídeo feito também pelo celular. As jovens estavam com um grupo de torcedores antes da partida de futebol entre Coritiba e o Vasco da Gama, no último sábado, em Curitiba.


À imprensa, a jovem agredida contou que a ação dos policiais teria sido violenta desde a abordagem do grupo de torcedores. Os jovens haviam organizado um evento chamado “Caminhada pela Paz” para horas antes da partida de futebol e Ana Paula estava participando.


“Juntamos torcedores e resolvemos fazer uma caminhada pacífica em homenagem a colegas que faleceram recentemente”, disse ao website Pragmatismo Político. Uma fotógrafa que acompanhava o manifesto confirmou a versão da jovem, que é acadêmica de administração.


“Chegou uma viatura da polícia mandando o pessoal calar a boca, que lugar de cantar é no estádio. A galera obedeceu, ficou quieta reunida ali na praça. Sem tumulto algum, nenhuma algazarra, tinha até crianças de colo”, relatou a fotógrafa Ana Paula Ribeiro.


Segundo a versão das duas, os policiais chutavam as pessoas que seguiam devagar e se incomodaram com as câmeras e celulares filmando a ação. Ana Paula Lima disse que preferiu não desligar o celular dela para filmar as supostas agressões e acabou se tornando vítima também.


“Eu desliguei, mas andei mais um pouco, liguei e continuei filmando. Quando eles viraram para trás e me viram, disseram que teriam que quebrar meu celular”, disse.


Ainda segundo a estudante, os policiais teriam partido para cima dela e outra amiga começou a filmar. “Eles me pediram para apagar imagens, eu disse que não ia, porque não tinha nada de errado em filmar. Então eles tentaram tirar da minha mão e vieram em dois para cima de mim. Um deles pegou meu braço e pôs para trás, de forma que eu fiquei com uma mão livre apenas. Então decidi colocar o celular dentro da minha calça”, denunciou.


Confira o Vídeo (O título do vídeo não foi editado pelo Midiamax):


“Eles continuaram me batendo, mais umas cinco ou seis vezes. Ameaçavam me levar presa, eu perguntava um motivo para me levarem, e diziam que eu estava desobedecendo ordem policial. Mas com esse tipo de ordem eu não concordo”, argumentou a jovem.


“Se ainda tivesse sido feito na frente de todo mundo, eu saberia que não iam acontecer abusos, mas eles me levaram para um canto, eu não via a torcida, a torcida não me via. Eu me senti muito constrangida, além de ficar nervosa com a situação”, relatou.


Ela disse que levará o caso à polícia nesta terça-feira (20), mas os vídeos com os flagrantes já caíram na internet e foram disponibilizados pelo Youtube.


Em nota oficial, a Polícia Militar do Paraná se manifestou sobre o caso na segunda-feira (19), e garantiu que abrirá um procedimento administrativo para apurar a conduta dos policiais.


“O vídeo já chegou ao conhecimento do Comando do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), o qual está determinou a abertura de um procedimento administrativo para apurar o que realmente houve. E caso fique comprovado que os policiais agiram irregularmente, eles serão punidos conforme prevê a Lei”, diz a Nota.

Jornal Midiamax