Polícia

Psicólogo acusado de falsificar perícia pode ter facilitado liberdade de presos perigosos em Dourados

O psicólogo forense Ricardo de Oliveira Utuari, de 36 anos, preso na terça-feira passada acusado de falsificar perícia, pode ter ajudado a soltar presos considerados perigosos, recolhidos na Penitenciária Harry Amorim Costa (PHAC), em Dourados. A informação é do delegado Rinaldo Moreira, que chefia as investigações. O caso continua sendo apurado na delegacia do 1º […]

Arquivo Publicado em 15/10/2012, às 23h17

None

O psicólogo forense Ricardo de Oliveira Utuari, de 36 anos, preso na terça-feira passada acusado de falsificar perícia, pode ter ajudado a soltar presos considerados perigosos, recolhidos na Penitenciária Harry Amorim Costa (PHAC), em Dourados. A informação é do delegado Rinaldo Moreira, que chefia as investigações.

O caso continua sendo apurado na delegacia do 1º DP de Dourados. Ricardo foi preso em flagrante na semana passada depois de receber a quantia de R$ 800 do pai de um detento, que cumpre pena por tráfico de drogas.

Segundo Moreira, outras cinco pessoas foram ouvidas, até mesmo durante o feriado, entre elas alguns presos recolhidos na PHAC. Em depoimentos, de acordo com o delegado, elas confirmaram terem sido vítimas do psicólogo, tendo inclusive pago dinheiro exigido para o fornecimento dos laudos falsos, na tentativa de se beneficiarem, saindo mais rápido da prisão.

Nos depoimentos, os detentos e alguns parentes também relataram que o psicólogo sempre alegava que se não pagassem, jamais iriam sair da prisão, e que a saída dependia exclusivamente dos laudos periciais.

Nesta semana, segundo o delegado Rinaldo Moreira, mais pessoas poderão ser ouvidos. O Inquérito policial tem o prazo até sexta-feira para ser concluído.

Jornal Midiamax