Polícia

Preso em Mato Grosso do Sul homem que fugiu para o Paraguai com sobrinha de 11 anos

O mestre de obras, de 32 anos, adaptou uma van para usar como residência e viveu com a menina na fronteira por algum tempo, mas acabou preso no interior de MS. Vai responder por estupro e sequestro.

Arquivo Publicado em 28/04/2012, às 11h33

None

O mestre de obras, de 32 anos, adaptou uma van para usar como residência e viveu com a menina na fronteira por algum tempo, mas acabou preso no interior de MS. Vai responder por estupro e sequestro.

Foi preso em Deodápolis, a 266 quilômetros de Campo Grande, um homem de 32 anos acusado de ter fugido para o Paraguai com uma menina de 11 anos de idade. Ele era casado com a tia da criança e mantinha um relacionamento com a sobrinha há pelo menos nove meses em Votorantim (SP), onde moravam.


Segundo admitiu à polícia, o homem havia fugido com a menina após o relacionamento dos dois ser descoberto, e passou um tempo morando em uma van que transformou em motorhome. Eles passaram uma temporada em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia que faz fronteira com Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul.


Quando encontrou uma oportunidade de emprego em Deodápolis, ele resolveu cruzar a fronteira de volta e acabou preso. A menina foi deixada com familiares que vivem em Mato Grosso do Sul sob acompanhamento do Conselho Tutelar. Após o exame de corpo de delito e avaliação psicológica, volta para a casa da mãe, em São Paulo.


Já o homem foi transferido nesta sexta-feira (27) para Sorocaba (SP) e ficará preso em Pilar do Sul (SP). Ele era procurado desde fevereiro, quando a esposa o denunciou à polícia por causa do relacionamento com a sobrinha. Agora, teve a prisão temporária decretada, e vai responder pelos crimes de sequestro e estupro de vulnerável.


De acordo com policiais do GAS (Grupo de Antisequestro de Sorocaba), o acusado, que é mestre de obras, havia adaptado um automóvel para servir como casa temporária para o casal. Na van havia eletrodomésticos, aparelhos eletrônicos e vestimenta para os dois, de forma a facilitar a fuga.


Segundo a delegada titular da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), Adriana de Sousa Pinto, a menina não foi forçada a fugir com ele. Mesmo assim, como é uma criança, não é responsável pelas decisões.


Relacionamento


O relacionamento entre o homem de 32 anos e a sobrinha da esposa dele, de 11 anos, começou quando uma tia materna e a mãe da menina abriram uma pizzaria juntas. Enquanto trabalhavam, o mestre de obras cuidava dos filhos e dos sobrinhos.


Ele acabou doente, e a menina passou um tempo cuidando do tio, quando acabaram se envolvendo. Após nove meses de romance, os dois foram descobertos e o homem resolveu fugir levando a criança.


Após alguém alertar a  família sobre o comportamento do homem com a menina chegou a ser registrada uma ocorrência de estupro de vulnerável. Logo após, a garota sumiu de casa, no início de março, para viver com o tio. (Com informações do Diário de S. Paulo)


Lolita


A fuga do mestre de obras paulista remete ao romance “Lolita”, publicado em 1955 pelo escritor russo Vladimir Nabokov. A obra se tornou filme e é considerada por alguns como um referencial para pedófilos.


Narrado pelo protagonista, um professor de poesia, o livro conta como o homem se envolve com a enteada de apenas 12 anos de idade, a quem apelida de Lolita. No enredo, o homem adulto também leva a menina para uma longa viagem de carro até ter problemas com a polícia.


Considerado um dos romances mais polêmicos já publicados, foi rejeitado por diversas editoras até ser lançado.

Jornal Midiamax