Polícia

Pais de bebê internado com traumatismo craniano são ouvidos pela polícia

Um bebê de 11 meses está entubado na Santa Casa de Campo Grande, após sofrer lesões que provocaram afundamento de crânio e hematomas pelo corpo. A criança chegou no hospital no início da troca de plantão médica, por volta das 18h da quarta-feira (25). Seu quadro clínico é considerado grave. O bebê foi levado inicialmente pelo próprio pai […]

Arquivo Publicado em 25/10/2012, às 21h15

None
153490869.jpg

Um bebê de 11 meses está entubado na Santa Casa de Campo Grande, após sofrer lesões que provocaram afundamento de crânio e hematomas pelo corpo. A criança chegou no hospital no início da troca de plantão médica, por volta das 18h da quarta-feira (25). Seu quadro clínico é considerado grave.


O bebê foi levado inicialmente pelo próprio pai a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Coronel Antonino. Depois, por conta dos graves ferimentos, a criança foi transportada por uma unidade do serviço Móvel de Urgência (Samu) para a Santa Casa.


No hospital foram realizados vários exames e um deles apontou TCE (Traumatismo Crânio-encefálico). Depois de constatada a gravidade do seu estado de saúde, ficou na espera de uma vaga no Centro de Tratamento Intensivo (CTI), mas somente por volta das 13h desta quinta-feira (26), conseguiu uma vaga.


A assistência social da Santa Casa acionou o Conselho Tutelar área Norte que foi ao hospital e confeccionou um relatório que posteriormente foi entregue para a delegada Regina Márcia Rodrigues, titular da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao adolescente (Depca).


Com base no relatório que recebeu, a delegada designou uma equipe de investigadores até a Santa Casa já que a mãe da criança a acompanhava na internação. Nos corredores do hospital, a mãe do bebê teria dito que ele caiu do berço e por isso estava com os ferimentos.


O Midiamax obteve a informação que vizinhos já teriam denunciado os pais por agressões contra o bebê. Pela suspeita atual e a denúncia, a mãe da criança foi conduzida para a delegacia para prestar esclarecimento.


Segundo caso

O caso do bebê de 11 meses é o segundo registrado nessa semana na Santa casa de Campo Grande. Na terça-feira, um menino de três anos foi internado com sinais de espancamento e ainda queimaduras em várias partes do corpo. A informação é que a criança já foi recolhida a um abrigo pela mesma situação, mas depois foi devolvida aos pais.


A polícia também investiga o caso para verificar se mais uma vez os familiares, em especial o padrasto, reincidiu.


O pai de 25 anos, que trabalha como vigilante, disse a reportagem que o filho teve convulsões, que causaram os ferimentos. Na delegacia ele contou, que há trinta dias a criança apresentava febre, alergia e foi medicado.


Porém na manhã desta quarta-feira (25), a criança não teria amanhecido bem. Por volta de 17h30, o pai disse a delegada que lavava louças, enquanto o filho estava em um “chiqueirinho de bebê”, quando começou a ter convulsões.


No mesmo momento, a mãe de 23 anos, que é vendedora, chegou em casa. Os pais então acionaram o Samu, que por telefone passou os primeiros procedimentos de primeiros socorros.


Quando o Serviço de Urgência chegou, os sinais vitais do menino voltaram ao normal. O pai afirma que o filho não chegou a cair, fato que poderia ter causado o afundamento de crânio.


A Polícia ouvirá os médicos nesta sexta-feira (26), e aguardará um laudo do Instituto Médico Odontológico Legal (IMOL), sobre o fato.


Matéria editada para acréscimo de informações às 19h15.

Jornal Midiamax