Polícia

Homem já condenado por estupro reincide no crime e é preso em flagrante

Valdocir abusava da enteada há três anos e, após a sua prisão, a polícia ainda descobriu mais quatro vítimas e uma sentença condenatória em seu desfavor de 40 anos e três meses de prisão.

Arquivo Publicado em 14/06/2012, às 16h02

None
1270633651.jpg

Valdocir abusava da enteada há três anos e, após a sua prisão, a polícia ainda descobriu mais quatro vítimas e uma sentença condenatória em seu desfavor de 40 anos e três meses de prisão.

Já condenado a 40 anos e três meses de prisão por abuso sexual a três crianças em 2008, Valdocir dos Santos, 40 anos, reincide no crime e é preso em flagrante na manhã desta quinta-feira (14), após a sua companheira D.P.A., 40 anos, denunciar o estupro cometido por ele à enteada de 11 anos.


Os abusos, segundo a menina, já acontecem há pelo menos três anos. “A última vez foi nesta segunda-feira (11). A vítima falou que não contava a mãe sobre os abusos porque Valdocir ameaçava matar ela e os seus pais biológicos, porém ela apanhou após o último estupro e a mãe chegou em casa e viu as marcas da agressão. Ela então questionou a menina, que decidiu contar tudo”, afirma a delegada Regina Márcia de Brito, titular da Depca (Delegacia Especializada de Proteção a Criança e ao Adolescente).


A mãe da menina compareceu a Depca e denunciou o caso a polícia, que o prendeu em um bar localizado no bairro Jardim Sayonara, em Campo Grande. E, ao checar os seus antecedentes criminais, a Polícia Civil encontrou uma sentença condenatória e ainda uma prisão em flagrante por estupro em 2004. ”A menina também prestou depoimento e confessou que os abusos eram diários, com o uso de preservativos e sempre no horário do almoço”, diz a delegada.


Com relação aos casos de 2008, os abusos foram cometidos a duas meninas, uma de nove, outra de 11 anos, além de um menino de oito anos. “As crianças moravam com a avó, que seria uma companheira anterior dele. Ela viu os braços das crianças marcados por conta das agressões e em 21 de agosto daquele ano procurou a polícia. Da mesma maneira, ele ameaçava matar as crianças, lutava com elas e cometia o ato sexual”, conta a delegada.


Uma das meninas disse em depoimento que o homem a levava para o quintal, mandava deitar, tampava a sua boca e cometia o estupro. “Ele xingava a menina e falava que se a vítima contasse ainda ia dizer que era ela quem o estava namorando. Já o menino, que sofria os abusos há um ano quando o caso chegou à tona, também falava que não tinha coragem de contar a avó porque ela era muito brava”, explica a delegada.


O médico legista emitiu laudos na época com a comprovação de conjunção carnal. Valdecir chegou a comparecer a delegacia e negou o crime. Logo em seguida, ele arranjou outra companheira, na Vila Margarida e mais uma vez abusou da enteada, uma adolescente de 14 anos.


O caso aconteceu em 16/12/04. Ele conviveu por oito anos com a mulher e, sob ameaça, a menina conta que foi obrigada a tirar a roupa. A vítima chamou os policiais logo em seguida e ele foi preso em flagrante, porém solto logo depois. “Vamos continuar investigando o caso e se aparecerem mais vítimas, elas podem entrar em contato com a delegacia, através do telefone 3385 – 3456”, fala a delegada Regina.


Além da sentença condenatória que ele já possui, Valdecir também será indiciado por Estupro de Vulnerável. A pena é de reclusão máxima de 15 anos.



Jornal Midiamax