Polícia

Eletricista apontado como principal responsável por “gatos” em MS é preso

Fiscalização também flagrou na manhã desta sexta-feira (2) um “gato” mais elaborado em um posto de combustível no Centro de Campo Grande. O condutor foi levado à delegacia para prestar esclarecimentos

Arquivo Publicado em 02/03/2012, às 14h00

None
71829089.jpg

Fiscalização também flagrou na manhã desta sexta-feira (2) um “gato” mais elaborado em um posto de combustível no Centro de Campo Grande. O condutor foi levado à delegacia para prestar esclarecimentos

Com um mandado de prisão, a polícia prendeu Duedes Henrique de Almeida, 52 na manhã desta sexta-feira (2) na operação Curto-Circuito que acontece nesta sexta-feira (2) em Campo Grande e demais cidades de MS.

O eletricista é apontado como o “cabeça” de uma organização especializada em implantar o sistema de furto de energia em comércios e residências. Duedes responderá por furto qualificado mediante fraude, e pode pegar pena de 2 a 8 anos de prisão.

Essa rede de fraudadores também conta com intermediadores e agenciadores que ofereciam o golpe a donos de comércios, postos de combustíveis e residências. Essas pessoas estão sendo investigadas, de acordo com a polícia.

A polícia investiga Duedes desde outubro do ano passado, após a descoberta do desvio em uma concessionária de veículos em Campo Grande. De acordo com o delegado a estimativa é a de que existem 35 mil fraudes em Mato Grosso do Sul, sendo elas aproximadamente 20 mil na Capital.

Os locais onde mais são constatados os crimes são em residências da classe média alta e comércios. Além da Capital a operação também se estenderá durante o dia nas cidades de Sidrolândia, Ribas do Rio Pardo e Terenos.

Outras prisões

O responsável por um posto de gasolina localizado no cruzamento entre as ruas Padre João Crippa com a Dom Aquino em Campo Grande, foi conduzido na manhã desta sexta-feira (2), por conta do furto, constatado pela perícia da Polícia Civil na operação.

No local foi constatado uma fraude mais elaborado, na qual, o responsável pelo posto tinha um disjuntor dentro do estabelecimento que acionava o desvio da energia no momento desejado. O dono do posto foi encaminhado à delegacia e responderá por furto.

De acordo com o delegado Fernando Lopes Nogueira, titular da 5ª Delegacia de Polícia Civil, outras pessoas foram flagradas pelo crime. Cinco delas foram levadas para o 5º DP, quatro para o 4º DP e um conduzido na cidade de Sidrolândia.

Quem se beneficia dessa irregularidade pode responder por furto que dá pena de 1 a 4 anos de detenção. De acordo com o delegado Nogueira, a ação da Polícia Civil conta com investigadores do 4º, 6º e 5º e Sig da Capital, num total de aproximadamente 60 homens.

Jornal Midiamax