Polícia

À paisana, policiais prendem autores de assalto seguido de estupro e sequestro em Paranhos

Os dois autores do assalto seguido de estupro e sequestro, ocorrido na madrugada de quarta-feira (4), em uma chácara de Paranhos, cidade distante a 477 quilômetros de Campo Grande, foram presos na manhã desta sexta feira (6), por policiais civis do trabalho de investigação da cidade. A prisão ocorreu no momento em que Dirceu Àvalos […]

Arquivo Publicado em 06/01/2012, às 13h45

None

Os dois autores do assalto seguido de estupro e sequestro, ocorrido na madrugada de quarta-feira (4), em uma chácara de Paranhos, cidade distante a 477 quilômetros de Campo Grande, foram presos na manhã desta sexta feira (6), por policiais civis do trabalho de investigação da cidade.


A prisão ocorreu no momento em que Dirceu Àvalos e Ramão Rodrigues, 18 anos, tentavam fugir da região de Paranhos, para a cidade de Coronel Sapucaia, também na fronteira com o Paraguai, abordo de um ônibus de passageiros.


De acordo com a polícia, investigadores levantaram informações de que uma pessoa havia levado dinheiro para o um dos acusados ontem e que seria o fugitivo da cadeia pública de Sete Quedas, Dirceu Àvalos, de 22 anos, que estava escondido na região de Ypêjhú, no Paraguai.


Os policiais então montaram campana na linha internacional, na altura de um assentamento rural situado a cerca de 12 quilômetros da cidade, em Paranhos e durante a abordagem ao coletivo, realizaram a prisão da dupla. Á paisana, os policiais se fizeram passar por camponeses assentados e abordaram a dupla de surpresa, que confessou o crime. Com a dupla, os policias também encontraram uma carabina calibre 22, roupas, calçados e pertences pessoais das vítimas do roubo do dia 4, entre eles os cartões de créditos.


Noite do crime


No dia do crime, os homens abordaram as irmãs, uma de 20 e outra de 21 anos, que estavam em companhia de dois homens quando os marginais chegaram e renderam todos na casa. Eles tentaram fugir com um veículo que havia no local, mas não conseguiram dar partida e então estupraram a irmã mais velha em um matagal por cerca de cinco minutos. Após a violência sexual, os bandidos fugiram levando a mais nova como refém. Eles levaram também vários objetos pertencentes às vítimas, entre eles, celulares, cartões de crédito e até roupas e calçados.


Os homes chegaram a fazer uma ligação para a família no mesmo dia, exigindo R$ 10 mil para entregar a menina. Sem dinheiro suficiente, a família explicou que não poderia fazer o pagamento. Ela foi liberada na noite de quarta-feira (4), sem pagamento de resgate e disse em depoimento que não sofreu abuso, após uma troca de tiros entre policiais civis e os assaltantes na linha internacional.

Jornal Midiamax