Polícia

Polícia Civil orienta a população para golpes na internet

O uso da internet rápida e de fácil acesso à população trouxe, também, um aumento considerável de crimes relativos ao acesso a dados pessoais que são obtidos pelos infratores através da internet. Com objetivo de alertar a população contra os golpes on line mais comuns, a Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), através da […]

Arquivo Publicado em 11/02/2011, às 18h28

None

O uso da internet rápida e de fácil acesso à população trouxe, também, um aumento considerável de crimes relativos ao acesso a dados pessoais que são obtidos pelos infratores através da internet. Com objetivo de alertar a população contra os golpes on line mais comuns, a Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), através da Polícia Civil traz orientações básicas para evitar qualquer prejuízo à sociedade.

O investigador Michel Neves, da Polícia Civil é quem orienta com informações básicas para não cair em golpes advindos da internet. Para que isso não aconteça, o cidadão deve adotar um conjunto de medidas de prevenção que garantem a segurança na hora de acessar a internet. “ Atualização do anti-vírus, cuidados com sites pornográficos, de jogos e principalmente com o e-mail do cidadão, são algumas medidas que trarão a segurança on line do cliente”, afirma Michel.

Considerada uma das principais ferramentas que facilitam golpes da internet, o cidadão precisa ter muito cuidado com o e-mail – considerado um dos principais receptores de vírus. Segundo o investigador, ao clicar em algumas mensagens , o internauta pode estar instalando um programa espião que funciona ocultamente no computador do cliente. “Esse programa espião não deixa rastros. Com ele, o infrator pode ter acesso a dados importantes como senha de banco, seqüência numérica de cartão de crédito e senha do próprio e-mail, o que dá a credibilidade para praticar mais golpes”, explica Michel. Um dos principais cuidados lembrados pelo investigador é com e-mails que possuem anexo e links diversos.

Cuidados

De acordo com o investigador, o cidadão deve ter cautela ao acessar alguns sites. É sempre bom evitar entrar em endereços eletrônicos através de links e banner´s de outros sites. A recomendação é entrar direto no endereço desejado, aumentando assim a segurança do cidadão. Para saber que o site acessado é seguro, ao acessar a página, haverá um cadeado no canto direito que indica que os dados informados não serão interceptados e estão sendo enviados de maneira segura. Em relação à segurança das máquinas , é importante que o anti-vírus seja atualizado constantemente. O ideal é que o programa seja atualizado assim que a conexão é iniciada.

Em relação aos sites de compra, é preciso ter cuidados com ofertas absurdas, sites desconhecidos e principalmente os sites que intermediam compras (que fazem o elo entre o consumidor e a loja), como por exemplo o site www.mercado livre.com – muito usado para a compra e venda de mercadorias. “ O site pode ser de segurança, mas não se sabe se a pessoa que está oferecendo a proposta, realmente existe”, explica o investigador.

O mais apropriado é que a compra seja feita diretamente no endereço virtual da loja. Segundo investigador, existem sites que têm acesso a pontuação das lojas como: shopping.uol.com.br, ebit.com.br. Todas as lojas têm fatores de segurança que devem ser verificados, como qualificação dada por consumidores que já compraram no endereço e número de vendas já realizadas, dados que garantem a equidade da instituição comercial.

Orientação

Segundo Michel, com acesso a esses dados obtidos através da internet, o infrator pode cometer crimes como estelionato e furto qualificado mediante fraude. O primeiro caso é mais comum registrado em casos de compra pela internet. O consumidor que se sentir lesado em compras realizadas na rede deve registrar uma ocorrência notificando a ação para a polícia. O registro pode ser feito em qualquer delegacia. A orientação da Polícia Civil é que a vítima leve uma cópia da página utilizada, para anexo no boletim de ocorrência.

Jornal Midiamax