Polícia

Jogo do Bicho já volta à normalidade em Campo Grande após ação da Polícia Civil

Após ação policial que levou mais de 30 anotadores do jogo do bicho para delegacia, bancas ficaram fechadas mas apostas foram feitas do mesmo jeito e sorteio foi normal. Na foto, senhor anota apostas ao lado de barraca fechada.

Arquivo Publicado em 18/03/2011, às 17h06

None
677934483.jpg

Após ação policial que levou mais de 30 anotadores do jogo do bicho para delegacia, bancas ficaram fechadas mas apostas foram feitas do mesmo jeito e sorteio foi normal. Na foto, senhor anota apostas ao lado de barraca fechada.

Camelo e peru foram os respectivos resultados do jogo do bicho nos dois sorteios diários desta quinta-feira (17). Um dia após a ação de policiais civis que levou ao menos 37 donos de bancas de apostas e apreendeu R$ 2.782 em dinheiro em diversos pontos da Capital, na última quarta, a “fézinha” não foi sequer atrapalhada. Os dois resultados de ontem saíram: ‘camelo’ de manhã e ‘peru’ à tarde.

De forma discreta, muitos que foram detidos já estão anotando os jogos nesta sexta (18). A estratégia utilizada agora, é deixar a banca fechada e fazer as apostas em uma mesa próxima. “Eu estou aqui próximo, sentado numa mesa”, resume um senhor de 53 anos que trabalhava pela manhã com uma banca na Capital; “É, quem chegar eu faço né?”

Neste mesmo ponto, outros bicheiros da região foram levados entre os 37 encaminhados ao Deops (Delegacia Especializada de Ordem Política e Social). “Minha sorte foi que me avisaram. Se não eu também tinha ido”. Indagado em relação à normalidade das apostas, o dono da banca conta que “estou trabalhando com receio, receio até de dar esta entrevista”.

Detenções

Trinta e sete pessoas encaminhadas para delegacias e R$ 2.782 em dinheiro apreendido, foi o resultado das detenções realizadas pela Polícia Civil contra cambistas e anotadores de bancas do jogo do bicho na tarde desta quarta-feira (16) em Campo Grande.

Ontem (17) diversas bancas de apostas permaneceram fechadas, mas muitas abriram e houve anotação e sorteio normal. Ontem o resultado foi “camelo” de manhã e “peru” na cabeça. Os policiais prometem manter a repressão, mas desde esta quinta, não encaminharam ninguém para a delegacia.

O Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis de MS) negou os rumores de que a ação teria sido uma represália à posição do Governo em negociações com a categoria.

De acordo com o delegado da Deops (Delegacia Especializada de Ordem Política e Social), Antônio Silvano Mota, o próximo passo será o de continuar ouvindo e recolhendo depoimentos para identificar outras pessoas que façam parte do esquema do jogo do bicho.

Não houve nenhuma operação e nem investigação prévia em relação aos encaminhamentos dos bicheiros as delegacias da Capital. Um dos detidos, ouvido por uma equipe de tevê, chegou a citar o nome de um deputado estadual como ‘chefe’ do jogo do bicho.

Perguntado sobre a especulação de que os bicheiros foram conduzidos para as delegacias para pressionar os possíveis responsáveis da contravenção que seriam representantes do poder legislativo, em troca de aumento salarial ou gratificações, o delegado respondeu que o assunto “não é da sua alçada”.

Todos foram ouvidos e assinaram um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) para depois serem liberadas. Alessandra de Souza

As pessoas encaminhadas foram enquadrados no artigo 58 da Lei 3.688, de 1941, que determina o “jogo do bicho”, como contravenção, com a possibilidade de prisão de três meses a um ano e multa. A pena é aumentada em um terço se menores de idade estiverem envolvidos.

Jornal Midiamax