Polícia

Homem é preso por quebrar braço da ex-sogra e agredir a ex-mulher

Após ter dois boletins de ocorrência com agressão à mulher, Julio César Mazlun Rocha, de 40 anos, foi preso nesta terça-feira (27) na Delegacia Especializada da Mulher acusado de ter dado um soco no olho e quebrado o braço da ex-sogra Francisca Bento de Oliveira, de 57 anos, no último dia 8 de setembro. Rocha […]

Arquivo Publicado em 28/09/2011, às 10h54

None
1567598803.jpg

Após ter dois boletins de ocorrência com agressão à mulher, Julio César Mazlun Rocha, de 40 anos, foi preso nesta terça-feira (27) na Delegacia Especializada da Mulher acusado de ter dado um soco no olho e quebrado o braço da ex-sogra Francisca Bento de Oliveira, de 57 anos, no último dia 8 de setembro. Rocha foi encontrado pelo Garras no bairro Coronel Antonino, próximo ao posto de saúde.


Segundo a delegada Christiane Grossi, o primeiro boletim foi registrado em 18 de junho, quando Rocha agrediu com socos e chutes a ex-mulher, Rita de Cássia Bento de Oliveira, de 27 anos. “Como ele não foi pego em flagrante em nenhum dos dois casos, não foi possível prendê-lo, mas com o registro da segunda agressão, a prisão preventiva foi decretada por receio dele poder fazer coisa pior”, explica Christiane.


De acordo com Francisca, a briga começou em frente à casa dela, quando Rocha apareceu lá xingando a ex-sogra. Mesmo a polícia sendo acionada e tê-lo retirado do local, ele voltou uma hora depois e iniciou uma briga corporal com ela, quando a agrediu com um soco no olho direito e quebrou o braço esquerdo.


Francisca ficou internada por duas semanas e passou por uma cirurgia para colocar pinos no braço. “Agora espero que a justiça seja feita, que ele fique preso e pague pelo o que fez”, diz a ex-sogra.


O casal viveu junto por 4 anos na casa de Francisca e estava separado por seis meses. Da união nasceram dois filhos, um de 2 e outro de 3 anos. Rocha será encaminhado à 4º Delegacia de Polícia e será julgado por lesão corporal. A pena pode chegar a três anos de prisão.


Segundo a delegada Christiane, em 2011 foram registrados 4578 casos de agressão contra a mulher. “Trata-se de um número alto de agressões, mas vejo que as mulheres estão mais corajosas para denunciar, e isso é muito bom”, diz a delegada.

Jornal Midiamax