Polícia

Corpo de PM2 morto em confronto com policial federal é velado em Dourados

O corpo do policial militar Sandro Alvarez Morel, de 36 anos, está sendo velado na Capela Bom Jesus (onde haverá uma celebração às 15h) e será sepultado com honras militares às 16h30 desta segunda-feira (9) no cemitério Bom Jesus, na Vila Industrial. Ele deixa mulher e dois filhos, um menino de oito anos e menina […]

Arquivo Publicado em 09/05/2011, às 14h23

None
1958146801.jpg

O corpo do policial militar Sandro Alvarez Morel, de 36 anos, está sendo velado na Capela Bom Jesus (onde haverá uma celebração às 15h) e será sepultado com honras militares às 16h30 desta segunda-feira (9) no cemitério Bom Jesus, na Vila Industrial. Ele deixa mulher e dois filhos, um menino de oito anos e menina de 4.


Ele morreu em confronto com o policial federal Leonardo de Lima Pacheco, que foi autuado em flagrante pelo delegado Luiz Augusto Milani, acusado de homicídio. Pouco antes do episódio, o PM Morel estava almoçando com a mãe quando recebeu uma ligação. Ele atendeu e disse à mãe que precisava ir, porque estava a serviço.


O confronto ocorreu na tarde deste domingo (8), por volta das 15h30, no apartamento de Pacheco, no Condomínio Indaiá, localizado na Rua Rita Carolina de Almeida, no Jardim Flórida I.


O PM Morel chegou ao local em companhia de uma Guarda Municipal de 44 anos, que vinha mantendo conversa, via MSN na Internet, com o acusado. Eles teriam marcado um encontro e, segundo a polícia, haveria uma suposta transação envolvendo droga. O PF, inclusive teria dito que seria traficante. Tanto o PF quanto a GM não sabiam que ambos seriam da polícia. Antes de ir para o apartamento do PF, a Guarda acionou o 190 da Polícia Militar e foi para o local acompanhada dos PMs.


A Guarda chegou ao apartamento com o PM Morel, que deu voz de prisão. Ele mandou o PF se abaixar, dizendo que era polícia. Conforme depoimentos da Guarda, o policial federal Pacheco puxou uma arma, passando a atirar contra o PM, que morreu no local. Morel também teria atirado.


A Guarda saiu correndo e o PF Pacheco atrás, com uma arma na mão. Embaixo, outro PM, José Ferreira Souza aguardava o desfecho. Houve troca de tiros. José e Pacheco saíram baleados. Ambos estão no hospital.


O PM José Souza, que assim como o colega (Morel que morreu eram do Serviço Reservado da PM (P-2), passou ontem por cirurgia para retirada do projétil que atingiu a perna e transfixou. No hospital, Pacheco foi ouvido pelo delegado e autuado em flagrante. (com informações de S.Bronka)

Jornal Midiamax