Mundo

De olho no mercado, Paraguai monitora lavouras de maconha para uso medicinal

Autoridades vistoriam produções em assentamentos do Departamento de São Pedro

Marcos Morandi Publicado em 20/07/2021, às 12h36

Com o acompanhamento da Senad, técnicos visitaram plantações de maconha
Com o acompanhamento da Senad, técnicos visitaram plantações de maconha - Senad/Divulgação

No marco do processo histórico de implantação do cultivo de cânhamo industrial (cannabis não psicoativa) no Paraguai, a Senad (Secretaria Nacional Antidrogas), em coordenação com o Ministério da Agricultura e Pecuária, Ministério da Indústria e Comércio e Senave, realizam o processo de fiscalização, apoio e assessoria aos pequenos produtores do Departamento de São Pedro.

Durante esta semana, pessoal da Diretoria de Registro e Fiscalização, do Laboratório Forense Especializado da Senad e das instituições citadas viajaram a locais como o Assentamento Corpus Cristhi - Calle 2000, em San Pedro del Ycuamandyyú, Assentamento Pedro Giménez em Santa Rosa, Assentamento Yvypé no distrito de Lima, Assentamento Santa Catalina, distrito Yrybucua.

Durante as visitas, eles monitoraram o andamento das lavouras, colheram amostras e georreferenciaram as produções. A atividade visa acompanhar e garantir o processo produtivo de acordo com os requisitos da respectiva regulamentação. Espera-se que as safras verificadas sejam colhidas em setembro.

Segundo a Senad, o benefício com “esse interessante item é para toda a cadeia produtiva, desde pequenos produtores até empresas que se dedicam à fabricação de produtos derivados do cânhamo industrial”.

“É importante destacar que o Paraguai está em um processo estimulante de abertura a novos negócios, que visa beneficiar principalmente os pequenos produtores. Com isso, busca-se um desenvolvimento alternativo às plantações ilícitas para milhares de compatriotas”, diz uma nota emitida pela Senad.

Jornal Midiamax