Mundo

Confronto entre exército paraguaio e grupo guerrilheiro deixa 4 mortos

O presidente do Paraguai Mario Abdo Benítez está se deslocando para a região onde deve acompanhar de perto a situação

Marcos Morandi Publicado em 19/11/2021, às 19h01

Membro da FTC em operação na região conhecida como Puentesiño, no Departamento de Concepción
Membro da FTC em operação na região conhecida como Puentesiño, no Departamento de Concepción - Divulgação

Troca de tiros entre membros da FTC (Força-Tarefa Conjunta) e integrantes do grupo guerrilheiro ACA (Associação Campesina Armada) deixa quatro pessoas mortas. O conflito acontece na área de Sargento José Félix López, também conhecida como Puentesiño, no departamento de Concepción, que fica nas proximidades da fronteira com Mato Grosso do Sul.

Um relatório preliminar divulgado pelo porta-voz da FTC, tenente coronel Luis Apesteguía apontava inicialmente três mortos. Entretanto, mais um corpo foi encontrado e deixa o clima ainda mais tenso na região. O presidente do Paraguai Mario Abdo Benítez está se deslocando para a região onde deve acompanhar de perto a situação.

Ainda segundo informações do porta-voz da FTC ao Jornal ABC Color, o conflito teve início pós um patrulhamento na zona de Paso Bravo. Após ataque com armas de fogo, três guerrilheiros da ACA foram mortos. Ainda não se sabe se a quarta vítima é ligada ao grupo ou ao exército paraguaio.

A informação que veio da área de Puentesiño mostra que houve um confronto e que a Força-Tarefa Conjunta matou três pessoas que responderam com tiros. Assim que se soube da notícia, foi informado pela Presidência da República que o presidente Mario Abdo Benites, que esteve no norte do país, chegará a qualquer momento.

Questionado sobre em que dados eles se baseiam para indicar que poderiam ser membros da ACA, o tenente coronel afirmou que as informações vieram do setor de inteligência da Força-Tarefa Conjunta, uma vez soldados paraguaios já estavam fazendo um monitoramento da região.

Jornal Midiamax