Mundo

Obamagate: ex-presidente dos EUA, Barack Obama, teria usado FBI contra Trump

Esta última semana um termo americano, “Obamagate” tomou conta nas redes sociais e deixou vários pessoas se perguntando o que ele significa. A expressão se destacou após tweets de Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, fazer referência ao escândalo “Watergate”, que surgiu na queda do ex-presidente americano Richard Nixon, em 1972. Nos anos 70, o […]

Renata Fontoura Publicado em 16/05/2020, às 14h38

Trump pede que Senado americano interrogue Obama sobre perseguição. (Foto: Internet)
Trump pede que Senado americano interrogue Obama sobre perseguição. (Foto: Internet) - Trump pede que Senado americano interrogue Obama sobre perseguição. (Foto: Internet)

Esta última semana um termo americano, “Obamagate” tomou conta nas redes sociais e deixou vários pessoas se perguntando o que ele significa. A expressão se destacou após tweets de Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, fazer referência ao escândalo “Watergate”, que surgiu na queda do ex-presidente americano Richard Nixon, em 1972.

Nos anos 70, o caso investigado foi a invasão do comitê de Nixon para obtenção de informações, envolvendo a ajuda de funcionários do FBI e da CIA. A denúncia exposta por Trump dessa vez envolve exatamente o contrário, e são os democratas, sob o comando de Barack Obama, também ex-presidente do País, que teriam participado de um plano obscuro com a Rússia para prejudicar o então candidato republicano, Donald Trump.

Na última quinta-feira (14), o atual presidente pediu ao Senado dos Estados Unidos para que Obama seja interrogado sobre a suposta perseguição mesmo sem apresentar provas. “Apenas faça”, postou Trump em sua conta no Twitter, dirigindo-se ao senador Lindsey Graham. Logo depois, Obama pareceu responder a ele postando “Votem”.

A seis meses das eleições, nas quais tentará se manter no cargo, Trump quebrou uma regra secreta em Washington que determina que presidentes e ex-presidentes evitem confrontos públicos. Também pediu a Obama que deponha sobre o que chamou de “Obamagate”.

Jornal Midiamax