Mundo

Argentina aprova aborto legal de forma gratuita

Foi aprovada nesta quarta-feira (30), a legalização do aborto na Argentina. Mulheres que decidirem interromper a gravidez poderão realizar o procedimento de forma segura e gratuita.

Dândara Genelhú Publicado em 30/12/2020, às 07h23

Foto: Reprodução/ Twitter.
Foto: Reprodução/ Twitter. - Foto: Reprodução/ Twitter.

Foi aprovada nesta quarta-feira (30), a legalização do aborto na Argentina. Mulheres que decidirem interromper a gravidez poderão realizar o procedimento de forma segura e gratuita.

A aprovação do Senado aconteceu na madrugada desta quarta-feira. Foram 39 votos a favor, 29 contra e uma abstenção. Assim, foi encerrada a lei que vigorava desde 1921, que considerava a prática do aborto como criminosa. Anteriormente, apenas mulheres estupradas ou com risco de vida poderiam realizar o procedimento.

De acordo com o El País, foi possível ver uma maré verde nas ruas no começo desta manhã. A cor é o símbolo feminista no país, que está em comemoração pelo avanço dos direitos sociais.

Então, a partir de agora, mulheres podem interromper de forma legal gestações de até 14 semanas. Além disto, a aprovação é um marco na nova legislação do país, que está a frente dos direitos sociais da América Latina.

Nesta quarta-feira (30), a Argentina se tornou o primeiro grande país da região sul-americana a garantir o direito das mulheres decidirem sobre os próprios corpos. Além dele, Uruguai, Cuba, Guiana e Guiana Francesa e regiões como a Cidade do México, já permitem o procedimento de forma legal.

Por fim, foi estipulado um prazo de dez dias para realização da interrupção. Ou seja, desde a solicitação do aborto, a realização do procedimento deve ocorrer em no máximo dez dias. A medida foi tomada para evitar manobras que retardem o aborto.

Jornal Midiamax