Mundo

Papa Francisco cria lei para impedir vida luxuosa entre bispos aposentados

Francisco quer que bispos busquem vida de oração e humildade

Joaquim Padilha Publicado em 19/02/2018, às 12h54

None

Francisco quer que bispos busquem vida de oração e humildade

O papa Francisco anunciou nesta segunda-feira (19) a criação de uma nova lei interna à Igreja Católica para impedir que membros do Vaticano e bispos de todo mundo adotem uma vida luxuosa após sua aposentadoria.

A nova lei recebeu o nome de “Motu Proprio”, que em latim significa “por sua própria iniciativa”. Segundo o texto da lei, os sacerdotes católicos devem “despojar-se dos desejos de poder e do pretexto de serem indispensáveis”.

O próprio papa Francisco trocou os apartamentos papais por uma suíte simples. A decisão foi tomada após uma série de escândalos envolvendo sacerdotes do alto escalão do vaticano, que mesmo aposentados, usariam carros oficiais e manteriam apartamentos luxuosos.

Um dos envolvidos foi o cardeal italiano Tarcisio Bertone, ex-secretário de estado do Vaticano, afastado em 2013. Seu apartamento teria sido reformado com meio milhão de dólares de desvios de fundos de um hospital do país.Papa Francisco cria lei para impedir vida luxuosa entre bispos aposentados

Francisco recomendou que os sacerdotes abracem “um novo projeto de vida, marcado tanto quanto possível pela austeridade, humildade, oração, tempo dedicado à leitura e disposição para oferecer serviços pastorais simples”.

“O Papa está dizendo que as pessoas devem orar diante de Deus quando chega a hora de se aposentar. Basicamente, ele está dizendo a bispos e a cardeais ‘seja humilde, aprenda um jeito de servir com humildade’”, disse o porta-voz do Vaticano, Greg Burke.

Em seu primeiro ano papal, Francisco tirou do cargo um bispo alemão por ter gasto o equivalente a R$ 125 milhões, em euros, de fundos da Igreja em um imóvel extravagante, o que ia contra seus princípios de austeridade.

Jornal Midiamax