Mundo

Papa expulsa ex-bispos do sacerdócio após acusações de abuso sexual

Neste sábado (13), o Papa Francisco expulsou dois ex-bispos chilenos, José Francisco Cox e Marco Antonio Órdenes Fernández, das cidades de La Serena e de Iquique por estarem sendo acusados de abusos sexuais. As investigações foram submetidas da Congregação para a Doutrina da fé. A expulsão na cabe recurso e o Vaticano informou que o […]

Vinícius Costa Publicado em 13/10/2018, às 16h26 - Atualizado às 16h59

None
papa-francisco.jpg

Neste sábado (13), o Papa Francisco expulsou dois ex-bispos chilenos, José Francisco Cox e Marco Antonio Órdenes Fernández, das cidades de La Serena e de Iquique por estarem sendo acusados de abusos sexuais.

As investigações foram submetidas da Congregação para a Doutrina da fé. A expulsão na cabe recurso e o Vaticano informou que o pontífice “renunciou do estado clerical”, uma medida que expulsa Cox e Órdenes do sacerdócio.

Já são quatro chilenos que foram expulsos. Na última semana, outros dois sacerdotes, Fernando Karadima Fariña e Cristián Prech foram expulsos.

Aposentado desde 2002, Cox vivia na Alemanha na cidade de Vallendar e vinha sendo acusado de abusos sexuais contra menores de idades no Chile. No mesmo ano, foi transferido para um mosteiro para viver isolado, quando começaram a rolar as primeiras acusações.

Órdenes já havia recebido o “ok” do papa Bento XVI para sua renúncia de Iquique, logo que foi acusado dos abusos sexuais contra um menino. A Justiça chilena arquivou o caso envolvendo Órdenes, mas a Doutrina da Fé não levou em consideração o arquivamento na sentença. A medida segue à risca do Papa Francisco ter “linha dura em relação aos abusos”.

Jornal Midiamax