Mundo

Tufão Haima deixa 12 mortos nas Filipinas e segue para China

Ventos chegaram a 225 km/h

Henrique Kawaminami Publicado em 21/10/2016, às 12h11

None
filipinas.jpg

Ventos chegaram a 225 km/h

As autoridades das Filipinas informaram nesta sexta-feira (21) que 12 pessoas foram mortas causados pela passagem do tufão Haima, na última quinta-feira (20). Com ventos fortes e chuvas intensas, o norte do país teve várias inundações, danos em estruturas e em plantações.

Chamado de Larwin nas Filipinas, o tufão atingiu o norte da ilha de Luzon com ventos de até 225 km/h e fortes chuvas.

Na província de Cagayan foi declarada o alerta máximo antes que o tufão tocasse terra na noite da última quarta. Os estragos ficaram entre 50 mil e 60 mil hectares de plantações de arroz, destruídos pelo vento ou inundados, segundo informações do governador, Manuel Mamba.

O Haima foi o tufão mais potente que atingiu as Filipinas desde a passagem do Haiyan, um dos mais poderosos da história que tocou a terra, que em 2013 causou 6,3 mil mortes, mais de 1 mil desaparecidos e 14 milhões de afetados na região central do país.

Entre 15 e 20 tufões atravessam as Filipinas todos os anos durante a temporada chuvosa, que começa em junho e vai até novembro.

Ao deixar o país, o fenômeno chegou a Hong Kong e se aproxima, nesta sexta-feira, da parte sul da China. Na cidade de Shenzhen, na Província de Guangdong, autoridades locais já determinaram o fechamento temporário de escolas, mercados e fábricas, além de orientar o esvaziamento de algumas regiões.

Em Hong Kong, os ventos chegaram a 109 quilômetros por hora. Mais de 740 voos foram cancelados ou sofreram mudanças de horário.

Jornal Midiamax