Mundo

Queda de Aleppo seria vitória para a Rússia, e derrota dos EUA no Oriente Médio

Afirmação é de um representante do governo dos EUA que pediu anonimato

Henrique Kawaminami Publicado em 09/12/2016, às 14h49

None
download_3.jpg

Afirmação é de um representante do governo dos EUA que pediu anonimato

Funcionários do governo reconheceram que Barack Obama a libertação de Aleppo pelo Exército sírio prova a derrota dos EUA no Oriente Médio.

Conforme publicado pela Reuters na quarta-feira (7), citando vários especialistas em política externa dos EUA, a derrota da oposição "moderada" por tropas leais ao presidente sírio, Bashar al-Assad ", apoiado pela Rússia, Irã e Hezbollah (Movimento de Resistência islâmica do Líbano) "significa o fracasso das políticas adotadas pelo presidente dos Estados Unidos e seus aliados regionais”.

"Quem ganhou? Putin (presidente da Rússia), os iranianos e Al-Asad. Quem perdeu? Nós. E a Jordânia, onde a CIA (acrônimo para a Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos) treinados e armado os moderados da oposição, os sauditas e os países do Golfo ", disse à Reuters um representante do governo dos EUA que pediu anonimato.

A agência britânica destacou que a recuperação da maior cidade da Síria elegeria presidente, Donald Trump, com menos influência em um conflito que durou mais de cinco anos.

Ele também enfatizou que a derrota dos rebeldes "moderados" representaria uma grande vitória para Al-Asad, garantindo o controle sobre todas as grandes cidades da Síria e mais de coluna e flanco sul e central na fronteira com o mar Mediterrâneo ocidental.

As forças sírias já têm sob seu controle mais de 70% da parte oriental de Aleppo e controla todas as áreas no nordeste desta cidade, o principal reduto de grupos armados na Síria.

Assumir o controle de toda a Aleppo representa a maior vitória de Damasco desde o início da crise síria, e reforçar ainda mais a sua posição contra os terroristas. Também seria uma derrota para os árabes,ocidentais e EUA, que apoiam a chamada oposição.

Jornal Midiamax