Mundo

Papa critica cristãos que não respeitam seus funcionários

"É um pecado gravíssimo usar Deus para cobrir uma injustiça" disse o pontífice

Clayton Neves Publicado em 20/02/2015, às 20h00

None
papa2.jpg

“É um pecado gravíssimo usar Deus para cobrir uma injustiça” disse o pontífice

O papa Francisco condenou, durante a missa de Santa Marta desta sexta-feira (20), aqueles que se dizem cristãos, mas tratam mal seus empregados ou funcionários.

“Você não pode fazer ofertas à Igreja nas costas da injustiça que você comete com seus funcionários. É um pecado gravíssimo usar Deus para cobrir uma injustiça. Se alguém vai à missa no domingo e faz a comunhão, pode-se perguntar a ele: como é seu relacionamento com seus empregados? Você os paga corretamente e um salário justo?”, disse o Pontífice.

Para o líder dos católicos, os cristãos são chamados a viver de maneira coerente, com amor a Deus e ao próximo. Comentando as leituras do dia, Jorge Mario Bergoglio disse que é preciso saber distinguir o “formal, do real”. Para o Senhor, observou o Papa, não se pode “fazer jejum ou não comer carne” e depois “brigar e humilhar os funcionários”.

Jornal Midiamax