Mundo

Número de mortos em onda de calor no Paquistão sobe para 700

Médicos e hospitais permanecem em estado de alerta para mais casos

Gerciane Alves Publicado em 23/06/2015, às 17h27

None
calor.jpg

Médicos e hospitais permanecem em estado de alerta para mais casos

A onda de calor que afeta o sul do Paquistão deixou 700 mortos nos últimos três dias, informaram as autoridades nesta terça-feira (23). Médicos e hospitais permanecem em estado de alerta ante a possibilidade de um aumento de casos.

O total de mortos foi contabilizado em 692 nos hospitais públicos de Karachi, a maior cidade do país, com 20 milhões de habitantes e onde a temperatura alcançou os 45 graus Celsius durante o fim de semana.

Os efeitos da onda de calor coincidem com o Ramadã, durante o qual os muçulmanos praticantes, majoritários no Paquistão, um país de 200 milhões de habitantes, permanecem em jejum entre o nascer e o pôr do sol.

Semi Khamali, médico no maior hospital de Karachi, afirmou que a instituição já tratou 3.000 pacientes.

“Mais de 200 chegaram mortos ou faleceram no hospital”, disse à AFP.

A Edhi Welfare Organisation, a ONG mais importante do país, informou que os necrotérios de Karachi receberam mais de 400 cadáveres nos últimos três dias.

“Os necrotérios alcançaram a capacidade máxima”, afirmou à AFP o porta-voz da ONG, Anwar Kazmi.

Em Karachi, os cortes de energia elétrica prejudicam o sistema de distribuição de água e afetam milhões de consumidores.

Jornal Midiamax