Mundo

Irã proíbe circulação de jornal com expressão “Je suis Charlie”

"Je suis Charlie" é a expressão criada por um cartunista francês após os atentados jihadistas 

Clayton Neves Publicado em 17/01/2015, às 19h16

None
ec0c73ebb5dff9201584e8c137e4f2325c1b5ad9.jpg

“Je suis Charlie” é a expressão criada por um cartunista francês após os atentados jihadistas 

A justiça iraniana proibiu a distribuição do jornal Mardom Emruz por ter utilizado a expressão “Je suis Charlie” na sua capa, informaram neste sábado as agências Irna e Fars.

“O tribunal encarregado das questões culturais e dos meios de comunicação emitiu uma ordem de recolhimento da publicação porque considerou um título e uma foto do jornal ofensivos”, declarou Ahmed Sattari, diretor do veículo, citado pela agência oficial Irna.

O jornal Mardom Emruz, em circulação há três semanas, publicou a expressão “Je suis Charlie” acompanhando uma foto do ator americano George Clooney.

“Je suis Charlie” é a expressão criada por um cartunista francês imediatamente depois dos atentados jihadistas contra o jornal satírico Charlie Hebdo, que deixou 12 mortos.

Cartazes com essa frase, traduzida em diversos idiomas, inundaram as manifestações de apoio a Charlie Hebdo no mundo inteiro.

Jornal Midiamax