Mundo

Agentes dão as costas a prefeito de NY em funeral de policial assassinado

Wenjian Liu foi morto por vingança contra mortes de jovens negros.

Gerciane Alves Publicado em 05/01/2015, às 13h57

None
costas.jpg

Wenjian Liu foi morto por vingança contra mortes de jovens negros.

Apesar das advertências do chefe de polícia de Nova York, William Bratton, agentes voltaram a dar as costas ao prefeito Bill De Blasio neste domingo (4), durante discurso feito no funeral do policial assassinado Wenjian Liu.

Eles repetiram o gesto praticado no enterro do também policial Rafael Ramos no último sábado. Ramos e Liu foram assassinados no dia 20 de dezembro pelo afro-americano Ismaaiyl Brinsley como forma de vingança à brutalidade das autoridades que matou dois jovens negros – Eric Garner e Michael Brown.

Sábado o prefeito apareceu de surpresa na primeira das cerimônias depois de Bratton emitir um comunicado interno no qual lembrava aos subalternos que “o funeral de um herói é um momento de aflição, e não de queixa”. Nenhum agente então protestou contra De Blasio.

“Não é uma ordem ou uma ameaça com expedientes disciplinas. Mas uma lembrança de que quando vestem o uniforme deste departamento, se comprometem com a tradição, a honra e a decência”, acrescentou Bratton no comunicado.

No entanto, alguns agentes ignoraram hoje as recomendações do chefe. Segundo os sindicatos da polícia, o apoio do prefeito às manifestações contra a brutalidade policial favoreceu o clima de revolta que levou Brinsley a matar Ramos e Liu.

Em seu discurso, De Blasio pediu para que todos recuperem o espírito de conciliação e harmonia, algo que considera como uma característica de uma das cidades mais cosmopolitas do mundo.

O prefeito também destacou a trajetória de Liu e o agradeceu por “servir e fazer mais segura a cidade que amava (Nova York)”.

Jornal Midiamax