MidiaMAIS / TV & Novela

Protegidos: Globo cria tática no BBB para tentar salvar famosos eliminados com alta rejeição

Já é a segunda vez que o Big Brother Brasil realizou um intervalo comercial suspeito e incomum antes do eliminado da semana ir conversar com o apresentador Tiago Leifert ao vivo diante de todo o Brasil. Durante o programa que anunciou a eliminação de Karol Conká, em 23 de fevereiro, foi a primeira vez que […]

João Ramos Publicado em 17/03/2021, às 13h58 - Atualizado às 15h10

Duas das maiores rejeições da história do programa (Reprodução, TV Globo)
Duas das maiores rejeições da história do programa (Reprodução, TV Globo) - Duas das maiores rejeições da história do programa (Reprodução, TV Globo)

Já é a segunda vez que o Big Brother Brasil realizou um intervalo comercial suspeito e incomum antes do eliminado da semana ir conversar com o apresentador Tiago Leifert ao vivo diante de todo o Brasil.

Durante o programa que anunciou a eliminação de Karol Conká, em 23 de fevereiro, foi a primeira vez que a Rede Globo abriu um break no meio da situação. A estratégia causou estranheza no público, que acusou a emissora de manipulação, desconfiando que Karol teria recebido informações de como se portar perante os telespectadores, enquanto o reality estava no intervalo.

Indiferente aos achismos do público, Boninho repetiu a estratégia durante a eliminação de Projota nesta terça (16) e quem surtou foi Nego Di. “Que sem vergonhice, o Projota tá vindo aqui brevemente. Eles fizeram intervalo de novo, na minha não teve intervalo, nunca tem intervalo. Que sem vergonhice, isso é uma canalhice sem tamanho, isso é de uma sujeira grande, nojenta, isso é mais sujo que os pés da Viih Tube. Que vontade de enfiar isso aqui no rabo deles” reclamou o humorista em live no Instagram com uma flauta na mão.

Foi na maior cara de pau que a produção do reality, sem qualquer discrição, abriu novamente um intervalo comercial para preparar o eliminado rejeitado e orientá-lo sobre o que dizer e como se comportar, na tentativa de amenizar o ódio sentido pelo público e consequentemente salvar sua carreira.

O que revolta Nego Di é que ele não teve esse tratamento, apenas Karol Conká e Projota, alguns dos famosos convidados para a temporada e que possuem carreira musical. O comportamento dos participantes foi absolutamente reprovado pelos telespectadores que chamavam o grupo composto pelos dois, Lumena e Nego Di, de “Gabinete do ódio”.

Mas Lumena e Nego Di não são tão famosos e nem possuem carreira grandiosa, por isso a Globo não se preocupou em prepará-los com informações e roteiros prontos de arrependimento antes de colocá-los ao vivo. A proteção é apenas para os ‘grandes’ e pode haver um acordo muito maior por debaixo dos panos, tentando assegurar a reconstrução das imagens dos artistas queimados pelo jogo sujo que fizeram.

“Cara, ele está vindo aqui como se fosse um trecho de um trajeto longo. Aquela porta tu saiu, é três passos e tu tá do lado do Tiago. Sem vergonhice! Quando eu saí, eles puxaram a mochila das minhas costas, me deram que nem Silvio Santos, assim, o microfone no meio dos peitos. Pum, negão conta até dez e entra. Um, dois, três, pum, mão nas costas e vai te embora, negão” contou Nego Di irado, revelando o curto trajeto entre a porta de saída e o estúdio de Tiago.

“Que canalhice, agora tem intervalo, agora é água com açúcar, agora é assim “acalma, fica frio, vai ter tudo, toda estrutura, documentário, Fantástico, Faustão, Ana Maria amanhã. É tudo conosco”. Projota, não cai nessa aí que eles vão te dar Faustão, vão te dar Fantástico, só que depois tu vai que dar uma segurada que nem a Karol. Tu não é vítima, tu é dos guri e se tu fizer fiasco eu vou te xingar”, finalizou o humorista eliminado em 16 de fevereiro com 98% de rejeição.

Jornal Midiamax