MidiaMAIS / TV & Novela

Contrariando a lógica, “A Vida da Gente” explode e bate recordes em capítulos de extrema angústia

Em uma semana de recordes de mortes provocadas pela crise do coronavírus, o caos hospitalar e o clima de angústia que assola o Brasil, a novela “A Vida da Gente”, que apresenta drama, hospital, coma e perdas, bateu recordes explosivos de audiência. Era de se esperar que os acontecimentos propostos pelo folhetim afugentassem o telespectador […]

João Ramos Publicado em 19/03/2021, às 15h52 - Atualizado às 16h01

Ana (Fernanda Vasconcellos) em coma após grave acidente de carro (TV Globo)
Ana (Fernanda Vasconcellos) em coma após grave acidente de carro (TV Globo) - Ana (Fernanda Vasconcellos) em coma após grave acidente de carro (TV Globo)

Em uma semana de recordes de mortes provocadas pela crise do coronavírus, o caos hospitalar e o clima de angústia que assola o Brasil, a novela “A Vida da Gente”, que apresenta drama, hospital, coma e perdas, bateu recordes explosivos de audiência.

Era de se esperar que os acontecimentos propostos pelo folhetim afugentassem o telespectador em dias tão tensos e dramáticos envolvendo a saúde e vidas no país. Nas duas primeiras semanas, “A Vida da Gente” derrubou a audiência deixada por “Flor do Caribe”, mas começou a reagir na terça (16), quando ocorre a virada da trama.

Se os capítulos menos dramáticos e angustiantes estavam marcando uma audiência ruim, com média de 18 pontos, o lógico seria a novela estagnar ou marcar ainda menos quando o drama extremo tomasse conta dos episódios.

Mas o folhetim de Lícia Manzo surpreendeu batendo três recordes consecutivos entre terça e quinta, marcando 21, 22 e 24 pontos nos respectivos dias. A meta é de 20 pontos.

O que explica essa guinada?

Diversos fatores podem justificar a explosão de audiência ocorrida esta semana. O primeiro deles é que os capítulos recordistas são importantes, responsáveis por apresentar acontecimentos que determinam todo o rumo da novela.

Na terça (16), houve o acidente de carro que deixará Ana (Fernanda Vasconcellos) em coma por anos. Os capítulos seguintes mostraram a recepção dos personagens quanto ao ocorrido e tudo ainda está se desenrolando.

É comum episódios marcantes baterem recordes, mas também há outros fatores que podem ter ajudado a trama a alcançar esses números, como por exemplo os bons números da reta final de “Laços de Família” no “Vale a Pena Ver de Novo” impulsionando o Ibope dos programas seguintes.

São Paulo, cidade onde a audiência é medida, entrou em fase emergencial da quarentena, fazendo com que mais pessoas fiquem em casa e possam assistir aos folhetins. Impulsionada por ‘Laços’, “A Vida da Gente” teve a competência de segurar e elevar esses números.

Há também outro ponto que não pode ser ignorado: os últimos capítulos de “Haja Coração”, que bateram recordes tão expressivos quanto os de “A Vida da Gente”.

O fato da novela das seis estar no meio de duas novelas que estão terminando, em dias de forte quarentena em São Paulo, e apresentando capítulos importantes, podem explicar o estouro de audiência mesmo durante sequências absolutamente angustiantes, dramáticas e hospitalares, assim como a situação do país.

Daqui pra frente

Não há como cogitar tendências para essa audiência, principalmente se a quarentena continuar. Caso o drama de “A Vida da Gente” fisgue o telespectador, a novela pode bater ainda mais recordes com as pessoas em casa.

Mas se o público cansar de ver tanto sofrimento, existe a possibilidade dessa audiência se espalhar mesmo em quarentena.

Como o telespectador do sofá vai reagir daqui pra frente? Bom, isso ninguém consegue prever.

Jornal Midiamax