MidiaMAIS / Famosos

Mulher que acusa Neymar de estupro tem dívida de R$ 26 mil e ação de despejo

As opiniões sobre o caso dividem os internautas entre os que defendem a mulher por denunciar um caso de estupro contra Neymar e outros que a chamam de "oportunista".

Carlos Yukio Publicado em 04/06/2019, às 09h04 - Atualizado em 06/06/2019, às 09h23

None
Neymar Jr. doa R$5 milhões no combate ao coronavírus no Brasil

Depois de grande repercussão do, ainda a se confirmar, caso de acusação de estupro contra o jogador Neymar Jr. no último fim de semana, o nome da modelo envolvida na polêmica e dona da acusação pública foi exposto pelo pai do jogador em entrevista na última segunda-feira (3). As opiniões sobre o caso dividem os internautas entre os que defendem a mulher por denunciar um caso de estupro e outros que a chamam de “oportunista”.

Apesar das opiniões adversas, Najila Trindade Mendes de Souza, de 26 anos, na véspera do registro de boletim de ocorrência (30), foi condenada pela 6ª Vara Civil de Santo Amaro a pagar uma dívida de R$26.712,00, uma multa contratual equivalente a três meses de aluguel e o pagamento de custos processuais. Najila também recebeu uma ordem de despejo. Os processos podem ser encontrados pelo portal JusBrasil.

Além da dívida imobiliária, Najila atualmente responde por uma dívida de R$4.160,77 com a Escola Panamericana de Artes. O processo ainda segue em trâmite há ao menos um mês antes da denúncia ao jogador. Najila foi condenada à revelia na ação que resultou em seu despejo, e não constam outros processos em seu nome além desses dois.

Neymar e Najila provavelmente já conversavam quando a jovem foi sentenciada, aumentando as especulações de que o caso de estupro seria “forjado”. A teoria foi explanada pelo próprio Neymar no último domingo em vídeo compartilhado através de seu Instagram na ferramenta IGTV.

Na publicação, o jogador diz ter sido vítima da situação e que “caiu em uma armadilha”, além de mostrar prints da conversa com a modelo com mensagens e fotos íntimas. O vídeo foi apagado na segunda-feira (3).

Jornal Midiamax