MidiaMAIS / Famosos

Polícia britânica se reforça para casamento de Príncipe Harry e Meghan Markle

David Hardcastle, comandante do setor policial, falou sobre a organização da cerimônia  

Aliny Mary Dias Publicado em 30/03/2018, às 12h30

None

David Hardcastle, comandante do setor policial, falou sobre a organização da cerimônia

A menos de dois meses para a data oficial, o casamento real entre o Príncipe Harry e a atriz americana Meghan Markle já é uma realidade para a polícia britânica. Estima-se que a celebração, marcada para o dia 19 de maio, atraia cerca 100 mil turistas de todo o mundo à cidade de Windsor, na Inglaterra. Para manter a segurança, a polícia local será reforçada. 

David Hardcastle, que é responsável pelo setor de estratégia policial, falou sobre o evento nesta quinta-feira (29). “A Força tem uma longa história de policiamento de eventos reais desde a Cerimônia Anual de Windsor Garter até visitas de estado e, mais recentemente, o 90º aniversário de Sua Majestade, a Rainha. O casamento do príncipe Harry e Ms. Markle não é exceção”, disse o policial. Em fevereiro, Harry e Meghan foram alvos de uma carta anônima com pó suspeito.  

Segundo Hardcastle, a operação policial em questão é considerada um marco histórico até mesmo pelas próprias autoridades. “Com pouco menos de oito semanas até o casamento do Príncipe Harry e da Sra. Meghan Markle, o planejamento está em andamento para uma das maiores operações de policiamento na história da Polícia do Vale do Tâmisa. Esta será uma celebração nacional e provavelmente atrairá milhares de pessoas de todo o mundo e teremos muitos funcionários trabalhando para garantir que este seja um evento seguro e feliz para todos que comparecerem”.

Segurança Reforçada

A Polícia do Vale do Tâmisa, em comunicado à imprensa, também informou que para manter em segurança Harry e Meghan, não faltarão recursos tecnológicos e reforço de pessoal. Policiais à cavalo, cães de guarda e o serviço aéreo policial serão alguns dos reforços utilizados. “Existe uma ampla gama de medidas de segurança visíveis, como a extensa rede de tecnologia de Reconhecimento Automático de Placa (ANPR), Circuito Fechado de Televisão (CCTV) e Barreiras de Mitigação de Veículos Hostis (HVM)”, lista o comunicado. Estações de trem e as carruagens também passarão por revistas minuciosas. “Quando você chegar em Windsor, haverá um sistema de triagem e busca. Quaisquer itens que possam representar um risco para o público serão removidos”, acrescenta a nota.

O novo casal real, que viverá numa casa campestre situada nos terrenos do palácio de Kensington, em Londres, comprometeu-se após mais de um ano de namoro. O romance do quinto herdeiro à coroa britânica com a atriz californiana teve início em julho de 2016. A Família Real inglesa pagará o casamento, incluindo a cerimônia, a música, as flores e a recepção. 

A norte-americana Meghan Markle, protestante, será batizada pela Igreja Anglicana, antes do casamento. A união será um marco histórico por ser a primeira vez que um membro da família real irá casar com uma mulher divorciada sem que isso gere uma crise institucional na monarquia britânica ou extrema rejeição pública. Meghan se divorciou do produtor Trevor Engelson em 2013 depois de um casamento de 2 anos. 

Jornal Midiamax