MidiaMAIS / Famosos

Ex de Luiza Brunet, Lirio Parisotto pode encarar novo processo por abandono afetivo

Ele já está sendo processo por agredir a ex-modelo

Daiane Libero Publicado em 11/08/2016, às 14h53

None
tamanho-luiza.jpg

Ele já está sendo processo por agredir a ex-modelo

Ex de Luiza Brunet, Lirio Parisotto pode encarar novo processo por abandono afetivoO empresário Lirio Parisotto pode virar alvo de mais um processo na Justiça de São Paulo. Mas, desta vez, o assunto não é sobre a acusação de agressão por parte da ex-namorada, a modelo Luiza Brunet. Agora, o empresário pode ser acionado para pagar uma indenização por abandono afetivo, movida por uma ex-namorada, mãe de um menino de 9 anos, fruto de um relacionamento com o empresário no passado.

O reconhecimento de paternidade foi feito logo que o menino nasceu, e Lirio cumpre com o depósito da pensão alimentícia da criança. Há seis anos, a advogada Eva Petrella entrou com uma ação de revisão de valores e Lirio acatou tudo o que foi sentenciado pelo juiz. O problema é que na época foi pedido que o pai fizesse visitas regulares ao filho, na tentativa de promover um convívio saudável entre as partes.

Lirio, porém, nunca entrou em contato com o herdeiro, segundo fontes, apesar de ter dado a ele seu sobrenome. Pai da psicóloga Liz Parisotto, que mora nos EUA, ele se refere a ela como sua única filha publicamente. “A Justiça não pode obrigá-lo a conviver com o garoto ou dar amor a ele. Mas pode entender que isso causa danos irreversíveis à vida dele e estipular uma indenização”, conta a fonte ligada ao caso.

A advogada Eva Petrella confirmou que vai entrar com a a ação, mas preferiu não citar o valor pedido na indenização. De acordo com o advogado de Lirio Parisotto, Luiz Kignel, até agora não existe ação impetrada contra seu cliente. "Não existe qualquer ação contra o Lirio e que nós saibamos a colega Eva Petrella não tem procuração da cliente para movê-la. Lirio e sua ex-namorada mantém um acordo sobre visitas e preferem deixar o assunto em particular", afirma o advogado.

Jornal Midiamax