MidiaMAIS / Comportamento

Rejeitada pelo mundo da moda, Miss MS conta como se encontrou e quer mais

Até a última segunda-feira (16), a ficha ainda não tinha caído. A proporção do que significa ser coroada a Miss Mato Grosso do Sul só ficou clara depois de um tempo, e depois de responder diversas mensagens de apoio nas redes sociais.

Carlos Yukio Publicado em 18/07/2018, às 17h29 - Atualizado em 19/07/2018, às 08h38

None
Ingrid Matzembacher representará o Mato Grosso do Sul no Miss Brasil

Até a última segunda-feira (16), a ficha ainda não tinha caído. A proporção do que significa ser coroada a Miss Mato Grosso do Sul só ficou clara depois de um tempo, e depois de responder diversas mensagens de apoio nas redes sociais.

Após iniciar a carreira como modelo, mas não se encaixando nos padrões exigidos pela indústria da moda, Ingrid Matzembacher deu a volta por cima. Aos 23 anos, recebeu o título de Miss Mato Grosso do Sul CNB 2018 no último sábado (14), ao representar sua cidade natal, Jardim, no interior do Estado.

Da rejeição ao sucesso

Ingrid começou a vida na indústria da moda aos 12 anos. A mãe foi uma das principais alavancas do sonho da então menina. Sem ela, diz que nem modelo seria. “Quem encarou o desafio comigo foi ela. Até viajava comigo”.

Aos 17 anos, veio para Campo Grande estudar. Cursou Administração na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, se formando em 2017. Antes, estudou Engenharia de Saneamento Ambiental por 2 anos, mas não era seu maior sonho.

Paralelo a universidade, Ingrid foi aos 19 anos ser modelo em São Paulo, um dos maiores redutos da América Latina no mundo da moda. Ao chegar lá, se deparou com uma grande dificuldade de se enquadrar aos padrões propostos pela indústria.

@misscnbms Vai acontecer dia 14 de Julho no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo em Campo Grande às 19hrs, #MissJardim @missbrasiloficial

Posted by Ingrid Matzembacher on Wednesday, May 30, 2018

“Não me encaixava. Eles pediam uma modelo com medidas exatas. Isso foi me afetando. Não me achava bonita, tinha dificuldade de sorrir. Aí me disseram que eu tinha as medidas certas para ser miss”, contou ao expôr a necessidade das modelos de se encaixarem em padrões irreais da mulher brasileira.

Um ano depois, Ingrid retornou para Campo Grande onde passou a dar aulas de passarela, inclusive para outras misses que participavam dos concursos. Com o tempo foi ganhando seu espaço no ramo. Ministrou cursos de passarela no interior do Estado e chegou a ser jurada de cursos de beleza em Maracaju e Sidrolândia.

Dedicação e força

Vencer o Miss Jardim, deu a estudante a oportunidade de representar a cidade no Miss Mato Grosso do Sul. Com a competição, veio uma preparação de 2 meses com dedicação total. Academia todos os dias, dieta para perder peso e tonificar o corpo.

Os amigos também fazem parte de um grupo que sem o embasamento, talvez o título não teria sido conquistado. Um deles é o advogado e também empresário de Ingrid, Jhonny Mike Rodrigues. Ajudando com a divulgação, a Miss MS diz que “não há dinheiro que pague as amizades”.

No começo era apenas um sonho, logo passou a ser um desejo e então se tornou um projeto de vida. Foi aí que começaram os…

Posted by Ingrid Matzembacher on Monday, July 16, 2018

Em seu discurso, a Miss MS busca ressaltar os princípios da igualdade e o feminismo, além de escancarar os problemas que são decorridos da sociedade machista, como o abuso sexual feminino, recentemente exemplificado nos casos de assédio na Copa da Rússia, no mês passado. “Quero ser um suporte para que as mulheres se abram e tenham coragem para denunciar o assédio”.

Inspiração de gerações

Além disso, um dos principais motivadores é levar a beleza do MS para o resto do Brasil. Mato Grosso do Sul possui apenas uma representante vitoriosa do Miss Brasil. A advogada Michella Marchi trouxe a coroa inédita, e ainda única, em 1998. Buscando repetir tal feito, Ingrid fará uma interpretação das obras de Ney Matogrosso, um dos ícones do Estado nascido em Bela Vista.

A representatividade faz com que Ingrid inspire-se nos jovens talentos que estão por vir. “As meninas do interior não acreditam no concurso. É muito fraca essa cultura. Quero mostrar a miss do interior, que talvez nem saiba da possibilidade de chegar num concurso nacional”, relembrou.

Posted by Ingrid Matzembacher on Saturday, July 14, 2018

“Acredite nos seus sonhos e visualize isso. Faça coisas que cada vez mais você queira. Fui ao centro e tinha uma coroa numa loja. Pedi para a dona da loja colocar na minha cabeça e ali tive a certeza que venceria o Miss MS. Deus me deu a confiança”, relembrou ao contar dos dias pré competição.

Mesmo sendo de uma cidade do interior do Estado que tem pouco mais de 24 mil habitantes, Ingrid quer mostrar que basta um sonho para chegar ao sucesso.

Com a vitória no concurso estadual, em três semanas Ingrid se juntará a outras 47 candidatas na etapa Nacional em Angra dos Reis no Rio de Janeiro. Elas ficarão confinadas de 8 a 11 de agosto para que depois seja escolhida a Miss Brasil CNB 2018.

Jornal Midiamax