MidiaMAIS

“Tela Preta”: editorial de moda com modelos negros faz crítica ao racismo na Capital

Produção audiovisual mistura moda, poesia e questões sociais. Vídeo foi produzido em obra abandonada de Campo Grande

Nathália Rabelo Publicado em 22/05/2021, às 08h00

Editorial mostra coleção de outono-inverno
Editorial mostra coleção de outono-inverno - Foto: André Patroni

A moda é um fenômeno sociocultural que vai muito além de exibir peças bonitas e acompanhar tendências. É um processo intrínseco dentro da sociedade como um reflexo de culturas e comportamentos. Mais do que isso ainda, a moda é porta-voz de transformações. Por isso, o estilista Fabio Castro de Brito, 45 anos, criou o vídeo-editorial “Tela Preta” para exibir suas produções apenas com modelos negros em Campo Grande. O vídeo, inclusive, foi realizado na obra abandonada do Centro de Belas Artes.

Natural de São Paulo, Fabio atua com sua marca Touché desde 2012. Especializada no streetwear, carrega as raízes urbanas até hoje na capital sul-mato-grossense. O estilista contou ao Midiamax que sempre trabalhou com várias inspirações para as peças, mas que há alguns anos tem dado mais relevância às questões raciais. Por isso, escolheu apenas modelos negros para desfilarem a coleção de outono-inverno no editorial audiovisual. “Tela Preta” fala de racismo, empoderamento feminino e conta com poesia de Jéssica Cândido (@afro.jess), que participou da produção.

Produção realizada obra abandonada do Centro de Belas Artes, em Campo Grande (Foto: André Patroni)

“Eu escolhi esse lugar, que seria o Centro de Belas Artes da prefeitura, um espaço que já está abandonado há alguns anos. Eu queria um lugar que fosse urbano e que representasse um espaço caótico, de abandono e que vai de encontro ao que a população negra sofre: meio abandonada, na periferia e você não se vê na tela”, disse o estilista, que é negro e conhece essa realidade.

Indo contra o modelo europeu de ‘beleza’, Fabio ainda comenta que os negros estão sendo inseridos na indústria da moda, mas que ainda há um longo caminho a ser perseguido. Quanto mais pessoas negras forem inseridas no mercado, mais a presença nesses espaços será normalizada. Partindo de uma geração mais consciente, diversos perfis estão ocupando o lugar dos ‘padrões’.

“Eu acredito que essa visão já está mudando e acho que vai mudar cada vez mais, porque as pessoas têm mais consciência. Os negros têm mais consciência do seu lugar na sociedade”, comenta.

Coleção tem objetivo de valorizar pessoas negras nos espaços da moda (Foto: André Patroni)

Inspirações

As peças exibidas em “Tela Preta” carregam conforto, mensagens inovadoras e, claro, arte. Moletons, sobreposições de manga, cortes, capuz mais largos e cotoveleira. Tudo à base de tricoline, algodão e tactel. Além disso, o estilista também reutilizou malhas que seriam descartadas para a confecção de novas peças.

Questionado sobre as inspirações, Fabio afirmou que estão em todos os lugares e que sempre busca temas diferentes. Suas principais referências vêm da rua, do jeito das pessoas, de vários lugares e manifestações artísticas. Na coleção atual, que aborda sobre o afro, dar destaque ao tema é uma maneira de identificação.

“A proposta do vídeo Tela Preta é mostrar a produção da Touché de outono-inverno, mas também colocando essa questão racial numa produção audiovisual artística com essa poesia, misturando as imagens e mostrando que os negros também têm o potencial. Podem fazer, podem se apresentar como modelos e como quiserem”, explica Fabio.

Assista ao vídeo completo do editorial de moda Tela Preta:

Modelagens largas e tecidos diferentes compõem a coleção (Foto: André Patroni)

Jornal Midiamax