MidiaMAIS

Dia Mundial Sem Tabaco: os efeitos do cigarro na saúde da pele e dos cabelos

Neste 31 de maio, Dia Mundial Sem Tabaco, desvendamos os efeitos do cigarro na beleza

Carlos Yukio Publicado em 31/05/2021, às 14h20

(Reprodução, MyDr)
(Reprodução, MyDr)

Pele opaca, cabelo seco, pele seca ou mesmo envelhecimento prematuro, esses são alguns motivos superficiais para que você nunca comece, ou tenter parar de fumar. Neste dia 31 de Maio é celebrado o Dia Mundial Sem Tabaco, destinado a conscientização contra essa droga que ainda é lícita no Brasil, mesmo sendo tão prejudicial à saúde. A data foi criada em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para alertar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo.

Anualmente, no Dia Mundial sem Tabaco, o INCA promove e articula uma grande comemoração nacional sobre o tema com as secretarias estaduais e municipais de saúde e de educação dos 26 Estados e Distrito Federal e com outros setores do Ministério da Saúde e do governo federal que integram a Comissão Nacional para Implementação da Convenção-Quadro da OMS para o Controle do Tabaco (CQCT/OMS).

O tabagismo é uma doença causada pela dependência química da nicotina. A pandemia de Covid-19 pode ser um estímulo para o cuidado com a saúde, incluindo a cessação do tabagismo. A qualidade de vida melhora muito ao parar de fumar assim como a capacidade pulmonar, deixando a pessoa menos vulnerável a inúmeras doenças, dentre elas, a Covid-19. Além disso, segundo a OMS. mudanças imediatas na aparência também podem ser motivacionais para deixar o vício para trás. 

Os efeitos do tabaco na pele

Os cigarros afetam a aparência da nossa pele, especialmente no rosto. Normalmente, os fumantes aparentam ser mais velhos do que os não fumantes e têm, na maioria dos casos, uma pele opaca ou acinzentada. A carece de brilho e luminosidade. Fumantes estão sujeitos a uma perda de elasticidade da pele, consequência da desidratação. E quando se fala em “desidratação”, se fala em “envelhecimento da pele”.

Cada fumaça de cigarro libera 200.000 radicais livres que atacarão as células da pele. Com a fumaça do cigarro, linhas finas e rugas tornam-se mais pronunciadas; especialmente nos olhos e na boca. Isso se deve principalmente ao 'beliscar' da boca a cada tragada de cigarro. Fumar também afeta a circulação sanguínea e pode, portanto, piorar os problemas da rosácea. Esse mau hábito também é um fator agravante na psoríase e nos cistos, seja na virilha ou atrás das orelhas.

Cigarro e cabelo

Fumar não altera apenas a beleza da pele, também têm efeitos nocivos na beleza dos cabelos. Ao fumar, privamos os cabelos dos nutrientes essenciais à sua vitalidade, bem como ao seu brilho (aminoácidos, vitaminas B, oligoelementos …). Isso favorece principalmente o aparecimento de cabelos brancos. Assim, os fumantes têm cabelos grisalhos com mais facilidade e rapidez. Além disso, fumar pode afetar o crescimento do cabelo. A fumaça do cigarro, que contém nada menos que 4000 produtos químicos, danifica o genoma do cabelo e promove a queda.

Jornal Midiamax