MidiaMAIS

Dia da Saudade: Amor e criatividade falam mais alto em tempos de pandemia

Um abraço apertado, almoços em família, colo de avó, reuniões de amigos, estar por perto, fisicamente, de quem amamos. Com os cuidados de biossegurança, necessários, frente à pandemia do coronavírus, o distanciamento é necessário e a saudade inevitável, mas, graças a ela, a criatividade falou mais alto e estratégias para amenizar a falta de familiares […]

Bruna Vasconcelos Publicado em 29/01/2021, às 07h29

None

Um abraço apertado, almoços em família, colo de avó, reuniões de amigos, estar por perto, fisicamente, de quem amamos. Com os cuidados de biossegurança, necessários, frente à pandemia do coronavírus, o distanciamento é necessário e a saudade inevitável, mas, graças a ela, a criatividade falou mais alto e estratégias para amenizar a falta de familiares e amigos foram criadas.   

Para o sentimento, que ganha mais força ainda ultimamente, tem até data: 30 de janeiro, próximo sábado, comemora-se o Dia da Saudade. Sobre isso, Matheus Henrique Alves, colaborador da Unimed Campo Grande, conta, sem hesitar, que com certeza a pessoa que ele mais sente falta neste momento é da avó dele.  

“Devido à pandemia não tivemos a possibilidade de ir até a nossa cidade natal, que é Uberaba em Minas Gerais, para poder estar com ela e meus parentes. Não fomos às festas de fim de ano, optamos por ficar aqui em Campo Grande, devido a esse período, então isso foi diferente da rotina de todos os anos e isso faz com que a saudade aumente”, relata Matheus.

Mas a falta do aconchego e carinho de avó fizeram com que Matheus, junto à irmã e mãe, encontrassem logo uma maneira de compartilhar momentos em família, amenizando a falta da presença física entre eles.

“Com a minha avó temos contato direto, por ligações ou chamadas de vídeo. Sempre damos um jeito de conversar com ela de algum jeito. A tecnologia tem sido a principal ferramenta que nos auxilia a amenizar um pouco a saudade. Não estar perto dela é de certa forma diferente, porque o fato de estarmos longe fisicamente significa que queremos protegê-la. A pandemia fez com que tomássemos atitudes como essa por proteção e por amor. É muito difícil essa distância, não vou negar, sinto muito a falta dela, mas essas alternativas tecnológicas nos ajudam a estar próximos de alguma forma” diz Matheus.

Datas importantes, que marcam o calendário da família, também já foram comemoradas com as adaptações.

“No Ano Novo ela esteve presente. Fez parte da virada do início ao fim, desde a ceia até a passagem de ano. Só faltou o abraço, que dessa vez foi virtual. Ano passado praticamente todas as datas importantes fizemos isso, tudo por vídeochamada. A ideia surgiu no momento que vimos que ela estava sozinha, então encontramos uma maneira de estarmos presentes, mesmo que com essa distância física”.

O rapaz finaliza com um aprendizado que deseja para todos futuramente: “que possamos aprender que hoje em dia amar é também estar um pouco distante para respeitar e estar pensando no próximo. Que esse presente seja um reflexo para o nosso futuro e quando a pandemia passar possamos aprender a valorizar cada pequeno detalhe, um abraço e a proximidade com as pessoas que amamos”.

*Estratégias de contato na pandemia*  

Mariela Nicodemos, psicóloga da Unimed CG, conta que há estratégias para manter o contato neste período de pandemia.

“Como fazemos isso hoje, entendendo que neste momento de pandemia, por uma questão de saúde e prevenção, não podemos estar fisicamente perto de quem amamos? A saudade machuca, mas criar estratégias de enfrentamento à essa realidade também são fundamentais para nos manter saudáveis”.

De acordo com a profissional, estar perto de quem amamos é fundamental para o equilíbrio das emoções e essencial para saúde, por isso Mariela separou dicas de como se fazer presente neste Dia da Saudade, mesmo de longe:

● Escreva uma carta

● Estacione o carro em frente à casa de quem ama e tenha contato de longe

● Faça uma vídeochamada

● Deixe um presente na porta da casa de quem sente falta

● Mande uma mensagem de áudio

● Prepare uma comida gostosa e, com todos os cuidados de higiene, deixe no portão da casa de quem ama

● Revele uma foto especial

● Produza, com as próprias mãos, um presente que represente todo amor e cuidado pela pessoa

“Respeitar o isolamento é mais que um ato de consciência, relacionado a segurança, saúde e prevenção à Covid-19, é um ato de amor ao próximo e de amor próprio”, finaliza a psicóloga.

Jornal Midiamax