MidiaMAIS

De por do sol a tereré, moradores formam ‘point’ para apreciar aviões em mirante de Campo Grande

Um dos principais pontos de lazer na Capital, o mirante reúne vários moradores que buscam um lugar de paz

Nathália Rabelo Publicado em 12/10/2021, às 08h14

Em Mirante de Campo Grande, moradores se reúnem para apreciar aviões e fazer várias fotos
Em Mirante de Campo Grande, moradores se reúnem para apreciar aviões e fazer várias fotos - (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

Desde que o campo-grandense se entende por gente, um dos maiores costumes dos moradores é apreciar decolagens e pousos de aviões pela vista privilegiada do mirante localizado nos altos da avenida Duque de Caxias. O lugar é tão famoso, que reúne várias pessoas todos os dias, especialmente aos fins de semana, para observar os “pássaros de ferro” enquanto aproveitam um bom momento de lazer ao lado de família e amigos.

No entanto, fica o questionamento: por que os moradores de Campo Grande são tão fissurados por observar os aviões em atividade? O Midiamax foi até o local para descobrir esse motivo e eles são vários: de pessoas que sonham em viajar nas aeronaves até programa de casal, o mirante é considerado por todos um lugar de paz.

O Carlos Bento, por exemplo, é um motorista de 49 anos que adora levar os sobrinhos para passear no mirante da Duque de Caxias. Lá, nós o encontramos com o Pedro Henrique, de 13 anos, que é Portador de Deficiência (PcD). Encantado com a exuberância dos aviões, o garotinho não conseguiu conter a alegria na hora que um passou.

Segundo o tio, os aviões preferidos da criança são os grandes. “Tem que trazer eles, então eu gosto também. Aí está lá [em casa] sem fazer nada, passa por aqui e assim vai”, contou Carlos. 

A paixão do Pedro Henrique por aviões começou pequenininho, quando ele viajou para Salvador, aos 6 anos. Desde então, ele nunca mais se esqueceu da magia ao estar dentro de um e, hoje, adora observar o céu em busca de outras aeronaves.

Carlos Bento e Pedro Henrique adoram observar os aviões (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

Morador da Vila Jacy, Matheus Souza faz questão de ir todos os dias, aos fins de tarde, para fazer uma caminhada e observar os aviões. O empresário, de 29 anos, conta que tem uma paixão muito grande por eles. 

“Eu sou do interior e na nossa cidade não tinha aviões, aí sempre que a gente via um avião passando — que era muito raramente — a gente ficava fascinado por eles. Mesmo morando em Campo Grande há uns seis anos, eu ainda gosto muito de vir aqui só pra ver isso”, comenta.

Questionado sobre o que sente na hora de presenciar os pousos e decolagens, Matheus afirma que é uma sensação satisfatória. “É uma invenção do homem, uma coisa tão pesada, daí a gente fica imaginando como ele [avião] consegue voar”, finaliza o empresário.

Matheus Souza visita o local todos os dias (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

Na volta do trabalho e andando de bicicleta, nós também encontramos o Onildo Bernardo Martini Pires, de 55 anos, tirando várias fotos pelo local. Ele trabalha como pedreiro e sempre faz a mesma rota da Duque de Caxias, duas vezes ao dia, de bike.

“Na ida e na volta, se eu puder filmar, eu filmo, paro para olhar, principalmente os da base aérea porque eu já servi ao exército”, comentou.

Gaúcho, ele conheceu os aviões quando foi morar na capital Porto Alegre, aos 15 anos. Agora que reside em Campo Grande e passa todo dia pela região, o amor se intensificou. “Depois de lá para cá eu gosto muito de avião, adoro ver subindo e decolando. Preenche a gente, é muito bacana”, refletiu Onildo.

Onildo aproveita o percurso do trabalho para admirar os aviões na Duque de Caxias (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

A Maura Escalante Para, de 22 anos, sempre está no mirante observando os aviões quando tem tempo livre. Ela contou ao jornal Midiamax que o maior sonho dela é viajar de avião. 

“Eu gosto da sensação de poder me imaginar lá dentro. Eu, pelo menos aqui de fora, imagino que deve ser uma coisa incrível estar voando lá em cima”, reflete a jovem. 

Maura sonha em viajar de avião (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

Gabriela e Gabriel Henrique, de 20 e 21 anos, respectivamente, estavam sentados na grama enquanto observavam os aviões voando em meio ao encantador pôr do sol campo-grandense. O casal estuda artes cênicas e gosta de ir ao mirante para relaxar.

“Eu sou de São Paulo e lá eu nunca tive essa paixão pelo céu igual eu tenho aqui, eu comecei a observar que aqui o céu e o pôr do sol são muito bonitos. Eu nunca tive a oportunidade de observar o pôr do sol junto com as aeronaves igual eu tenho aqui. Eu tenho uma atração muito grande em ver a aeronave indo, vindo e com o sol de fundo. Aí a gente passa as tardes aqui. A gente sempre vem, fica olhando, relaxando, é como se fosse uma cura do estresse que a gente tem do dia a dia”, contou Gabriela. 

Já o Gabriel Henrique adotou o costume de visitar o mirante quando comprou sua moto e facilitou a locomoção. “Eu gosto de ver, principalmente, os aviões pousando e o pôr do sol porque aqui a vista é melhor, eu gosto de sentar e ficar vendo”, explica o estudante. 

Gabriela e Gabriel Henrique são encantados pelo pôr do sol de Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

Independente de quais sejam os motivos que encantam os campo-grandenses, verdade seja dita: ter a vista privilegiada dos grandiosos aviões em contraste com o céu da Capital é coisa de outro mundo. 

O mirante atrai vários visitantes todos os dias, como atletas, ciclistas, famílias, crianças e comerciantes. Da galera que faz roda de tereré até quem vai lá para relaxar, os aviões são as verdadeiras atrações que conectam a vida aqui embaixo com quem está voando lá no céu.

Confira abaixo mais alguns registros feitos no mirante da Duque de Caxias:

(Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

(Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

(Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

Jornal Midiamax